AveSui
11/04/2012 08:51 - Atualizado em 20/04/2016 14:43
Empresas

Cargill lucra e recupera o equilíbrio

A americana Cargill recuperou o equilíbrio em meio à tumultuada economia mundial, depois que os acelerados negócios com commodities e as vendas vigorosas de ingredientes alimentícios ajudaram a companhia a estabilizar os lucros em seu terceiro trimestre fiscal.

A maior trading agrícola do mundo em receita anunciou um lucro líquido de US$ 766 milhões para o trimestre encerrado em 29 de fevereiro, US$ 3 milhões a mais que no mesmo período do exercício anterior. Excluindo-se as contribuições anteriores de sua ex-participação na empresa de fertilizantes Mosaic, o resultado representa um novo recorde.

O trimestre coincidiu com indicadores econômicos melhores nos EUA e sinais de que os líderes europeus conseguirão conter a crise da dívida que aflige o continente.

A Cargill, que negocia e processa commodities que vão do milho ao cacau, informou que foi melhor sucedida no gerenciamento de seus riscos macroeconômicos. "O ano continua incerto para a economia mundial, mas fizemos um trabalho melhor ao navegar pelas incertezas", disse o CEO Greg Page. O lucro líquido nos primeiros nove meses do exercício foi de US$ 1,1 bilhão, ante US$ 2,29 bilhões no mesmo período do ano fiscal anterior.

Os resultados mais recentes podem ser um bom augúrio para tradings de commodities listadas em Nova York, como a ADM e a Bunge, que também vêm tendo dificuldades. A Cargill, maior companhia de capital fechado dos EUA, disse que seus 40 negócios combinados de ingredientes alimentícios registraram os maiores ganhos em qualquer terceiro trimestre, uma vez que as vendas de produtos como óleos vegetais aumentaram. Essa linha de negócios inclui produtos de valor agregado que, segundo analistas, são uma parcela crescente dos lucros da Cargill, historicamente conhecida por negociar produtos de base.

A comercialização de commodities também recuperou-se de um segundo trimestre fraco, embora os resultados tenham ficado abaixo dos números do mesmo período do exercício anterior.

O segmento de produção e processamento, que compra, vende e transporta grãos, soja e outros produtos agrícolas no mundo, "estabeleceu posições de comercialização favoráveis na maior parte dos negócios, muito embora a desaceleração das exportações de grãos pelos EUA, o aumento da capacidade global de processamento de oleaginosas e as tensões geopolíticas tenham criado condições de mercado difíceis", posicionou-se a Cargill - que também divulgou que melhoraram os resultados de sua divisão de energia, que inclui carvão, gás natural e petróleo.

O segmento de serviços agrícolas, que compra grãos de agricultores em troca de insumos, lucrou menos que no terceiro trimestre do exercício passado porque houve mais compras que o normal nos EUA no primeiro semestre, o que reduziu os fluxos no terceiro trimestre. Já os negócios com carne bovina foram afetados pelos altos preços do gado e pela demanda fraca na América do Norte. O inverno brando nos EUA também significou vendas mais fracas de cloreto de sódio, um pilar histórico de seu segmento industrial.

A receita do terceiro trimestre chegou a US$ 31,9 bilhões, 5% mais que no mesmo período do exercício anterior.

Valor Econômico
Deixe seu Recado
Cadastre-se e receba em seu e-mail as últimas notícias do setor gratuitamente.
Existem campos que requerem sua atenção!
Enviando...
E-mail cadastrado com sucesso!!! Você receberá nossos próximos boletins diários.
Acesse www.aviculturaindustrial.com.br/assine e faça a assinatura da revista impressa Avicultura Industrial