20/07/2012 08h17 - Atualizado em 20/04/2016 02h43
Insumos

Governo da BA e Conab discutem alternativas para agilizar chegada de milho aos produtores

O governo do Estado, através das secretarias de Agricultura e de Desenvolvimento e Integração Regional/Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (Sedir/Car), assumiu, emergencialmente, o custeio do ensacamento e transporte de parte das 20 mil toneladas de milho que os produtores do Oeste disponibilizaram para compra pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para atender aos pequenos produtores dos municípios em estado de emergência, por causa da seca. A decisão foi tomada durante reunião realizada na noite desta quarta-feira, no gabinete da Seagri, entre o secretário Eduardo Salles; diretor executivo da Car, Vivaldo Mendonça; superintendente da Conab, Rose Ponde, e o diretor de Desenvolvimento Territorial da Superintendência de Agricultura Familiar da Seagri (Suaf), Ivan Fontes. A carga deverá chegar a vários pontos da Bahia no início da próxima semana.

Salles e Vivaldo consideram o momento crítico vivido pelos pequenos produtores, uma vez que o estoque inicial de três mil toneladas da Conab colocado no armazém de Irecê para venda balcão chegou ao fim, restando apenas 160 toneladas. A companhia, conforme anunciado no final do mês passado pelo seu presidente, Rubens Rodrigues dos Santos, durante reunião com o secretário Eduardo Salles, e com a superintendente da Conab na Bahia, decidiu remover milhares de toneladas de milho do estoque da companhia no Cento-Oeste para o Nordeste. Parte desse milho é destinada à Bahia. No entanto, a Conab está encontrando dificuldades para efetivar o frete por causa da safrinha do Centro Oeste, que mobiliza os carreteiros, e faltam carretas para vir para a Bahia.

Mesmo assim, já foram removidas e vendidas imediatamente aos produtores mais de mil toneladas de milho. Além disso, a dificuldade é que o  milho vem a granel e necessita ser ensacado antes de ser distribuído nos cinco armazéns da Conab (Irecê, Entre Rios, Ribeira do Pombal, Santa Maria da Vitória e Itaberaba), e nos cinco armazéns credenciados emergencialmente em Vitória da Conquista, Juazeiro, Feira de Santana, Guanambi e Jequié.

Em função do longo prazo que seria necessário para a realização dos leilões de frete pela Conab para transportar o milho do Oeste para outras partes do Estado, o secretário Eduardo Salles conversou por telefone e enviou ofício ao presidente da Conab, solicitando a emergencialidade na contratação, em função do drama que vivem os criadores, que não conseguem comprar o milho, uma vez que o grão não está disponível nos pontos de compra.

A superintendente Rose Pondé informou que após reunião da diretoria da companhia em Brasília, o pleito do governo estadual foi atendido, mas serão necessários alguns dias para que o procedimento seja efetivado. Assim, o diretor executivo da Car, Vivaldo Mendonça, e o secretário Eduardo Salles, ajustaram que o Estado, como parceiro de todas as horas da Conab, e diante da necessidade dos produtores, vai viabiliar o pagamento do frete para distribuição deste milho, até que a Conab normalize essa operação.

Salles ainda apresentou a Rose Pondé o pedido de centenas de produtores no sentido de que a Conab desburocratize os processos para que o milho, destinado à alimentação animal, chegue mais rapidamente ao pequeno produtor. “Sei que há questões legais e o processo se torna lento para evitar fraudes, mas nesse momento precisamos de celeridade”, disse Salles, afirmando ainda que “se houver fraude, se alguém tentar levar vantagem dessa importante política pública, usando de má fé, que seja punido severamente, até mesmo com cadeia”.

Adab/BA
Deixe seu Recado
Cadastre-se e receba em seu e-mail as últimas notícias do setor gratuitamente.
Existem campos que requerem sua atenção!
Enviando...
E-mail cadastrado com sucesso!!! Você receberá nossos próximos boletins diários.