Revista Digital
Edições digitais de
Avicultura Industrial
Deste a edição 1200, a revista mais completa destinada à avicultura do setor apresenta sua versão digital.

Informações completas do setor avícola que podem ser visualizadas através de celulares, smartphones, tablets e computadores em qualquer parte do mundo.
E-mail:
Senha:
Esqueci minha senha

Notícias

Tamanho da FonteDiminuir FonteAumentar Fonte
 

Novo sistema de vacinação in ovo pode ajudar avicultor brasileiro a crescer em eficiência

Embrex Inovoject m traz benefícios para a Frango Seva, em Pato Branco (PR).
Quarta-feira, 21 de Março de 2012, 11:01:06Empresas, Manejo, Ovos
Novo sistema de vacinação in ovo pode ajudar avicultor brasileiro a crescer em eficiência

A introdução de sistema automático de vacinação in ovo ao longo dos últimos 20 anos resultou em desenvolvimento significante de incubadoras grandes, eficientes, capazes de processar milhões de ovos por semana. Tais dispositivos foram primeiramente instaurados mais com mais entusiasmo nos EUA, onde grandes quantidades de ovos são processados e custos laboratoriais são relativamente elevados. Atualmente, mais de 90% da produção avícola dos EUA utiliza a vacinação in ovo e boa parte dos avicultores se utiliza do sistema Embrex Inovoject completo, comercializado pela Pfizer Saúde Animal.

No entanto, um recente lançamento de um dispositivo menor para vacinação in ovo, semi-automatizado, com base na mesma tecnologia utilizada no sistema completo Embrex Inovoject, promete fomentar a adoção da tecnologia in ovo em incubadoras menores em outras partes do mundo - como o Brasil.

O dispositivo menor, chamado Embrex Inovoject m, já é testado no Brasil pela empresa Frango Seva, em Pato Branco (PR). Trata-se de uma pequena companhia avícola integrada verticalmente que lida com criadores e incubadoras de frangos de corte. Fundada há 36 anos, a empresa processa cerca de 55.000 aves por dia, em cinco dias por semana, e traz cerca de 280.000 pintos do incubatório. "A Frango Seva é um exemplo típico de empresas avícolas brasileiras que estão tentando competir com os grandes integradores, mas com recursos limitados", explica o diretor de Agronegócios, Marciano Régis Tonus. "Estamos tentando ser mais profissionais, como empresa. Acreditamos que podemos competir melhor no mercado brasileiro. Creio que temos de usar uma nova tecnologia para manter a empresa competitiva. Temos de aumentar a produção para 120.000 aves por dia, a fim de apoiar a nossa posição financeira", complementa.

De acordo com Tonus, a tecnologia Inovoject m da Pfizer Saúde Animal poderá ajudar a Frango Seva em seus objetivos. A empresa ofereceu o dispositivo à empresa para testes. Antes da adoção do sistema, os pintos da Frango Seva eram vacinados via subcutânea, mas o processo estava causando problemas crescentes. "O problema mais comum que temos com a vacinação subcutânea é devido ao bem-estar das pessoas. Eles não trabalham bem ou ainda desenvolvem problemas de saúde devido à repetição do processo. Por exemplo, problemas nos braços por causa da posição que devem adotar para o processo", enfatiza Tonus, também explicando que as leis trabalhistas brasileiras também têm pressionado as companhias a oferecer melhores condições de trabalho aos seus funcionários, o que aumenta os custos internos.

Instalação e resultados- Uma equipe da Pfizer Global Poultry estava com o representante da Frango Seva para instalação e iniciação do funcionamento da Embrex Inovoject m no Brasil. Os operadores de Frango Seva foram treinados pela equipe da Pfizer, que permaneceu na incubadora durante todo o processo, que durou quase um mês. Neste período, cerca de 833.000 ovos foram vacinados. Após alguns problemas iniciais, o dispositivo funcionou muito bem. "Durante a primeira semana, os operadores tiveram de se acostumar com a máquina, mas depois disso, eles estavam muito mais confortáveis e o processo tornou-se natural para eles. Foi fácil de usar. Minha percepção é que Inovoject m é capaz de reduzir a distância entre as pequenas empresas e as grandes empresas no Brasil, dando-lhes uma oportunidade de usar uma nova tecnologia", pontua Tonus.

Tonus acredita que todas as empresas de aves no Brasil terão interesse na nova máquina porque a cada a dia os problemas com os empregados estão piorando e está ficando muito mais difícil encontrar pessoas para trabalhar nas incubadoras. Comoa  produção de aves continua a aumentar em volume e em qualidade em outros países da América Latina e Ásia, a disponibilidade de um dispositivo que pode evitar problemas trabalhistas e trazer os benefícios da vacinação no ovo torna-se essencial e desperta interesse.

Fonte:  Redação Avicultura Industrial
Voltar 
Comentários