Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

A força da intercooperação

Intercooperação é a atuação conjunta no interesse mútuo entre cooperativas

Luiz Vicente Suzin

Presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc)

08-Jun-2021 15:55

Intercooperação é a atuação conjunta no interesse mútuo entre cooperativas. Intercooperação não é palavra vazia nem um modismo. É o sexto princípio do cooperativismo mundial e preconiza a parceria, a ação conjunta, o relacionamento institucional, político e comercial entre as cooperativas, prática que leva ao fortalecimento recíproco das cooperativas e, por extensão, do sistema.

Estimular a prática da intercooperação deve ser uma prioridade de todos os dirigentes, de todas as organizações e de todos os programas de fortalecimento do cooperativismo. As transações comerciais entre si, a prestação de serviços, a cooperação técnica e financeira - tudo deve ser cada vez mais intenso entre as cooperativas de todos os ramos.

Quando as cooperativas transacionam comercialmente, estão fortalecendo a circulação de riquezas e recursos no ambiente cooperativo, portanto, contribuindo para o desenvolvimento de milhares de associados.

A história mostra que a filosofia de atuação em rede e a intercooperação permitiram às cooperativas crescer e enfrentar as adversidades do mercado. A intercooperação estabelece um relacionamento horizontal das cooperativas singulares entre si e, através dele, definem-se ações conjuntas e viabilizam-se empreendimentos e projetos comuns.

São muitas e várias as formas de intercooperação. Pratica-se a intercooperação quando a cooperativa de crédito financia a cooperativa habitacional e/ou a cooperativa de produtores rurais. Ou, ainda, quando a cooperativa de consumo adquire alimentos in natura ou semi-industrializados da cooperativa de produção agrícola.

A OCESC defende uma cultura de integração, de concepção do cooperativismo como uma doutrina que pode e deve envolver todas as áreas da atividade humana a partir da profissionalização da gestão, da formação de redes intercooperativas, da educação, da formação cooperativista e da responsabilidade social das cooperativas.

O relacionamento horizontal das cooperativas entre si é tão profícuo quanto o relacionamento vertical que elas mantêm com as centrais, federações e confederações. Através dele, harmonizam-se conflitos de base territorial, definem-se ações conjuntas e viabilizam-se empreendimentos e projetos comuns de formação de recursos humanos, de difusão tecnológica e até mesmo de infraestruturação local e regional.

É essencial estimular uma cultura de integração. Isso inclui educar os cooperados e encorajar os dirigentes sobre os benefícios da intercooperação, colocando em marcha ações que otimizem o uso das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.

Quando o princípio da intercooperação é conspurcado, abandonado ou deturpado, as cooperativas acabam concorrendo entre si, ficando exposta uma fragilidade no sistema cooperativo. Os dirigentes precisam compreender que as sociedades cooperativas não detêm, em geral, todas as habilidades e competências necessárias para o desenvolvimento das suas atividades estratégicas. Por isso, essas parcerias são as soluções para complementar as competências. Algumas vezes pode facilitar o acesso a novos mercados, desenvolvimento de novos produtos e serviços de forma conjunta. A prática tem demonstrado que a intercooperação é capaz de neutralizar disfunções como a falta de confiança, rivalidades regionais, invasões de áreas, além de questões culturais, políticas e, em especial, as profundas mudanças e transformações disruptivas que ultimamente estão abalando os mercados e setores da economia.

É crescente a conscientização de cooperados e dirigentes sobre os benefícios da intercooperação. Basta ver o progressivo emprego das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais para esse fim. Quanto mais intensa for a intercooperação, maior independência conquistará o sistema cooperativista e melhor cumprirá seu desiderato social.

Assuntos do Momento

20 de Setembro de 2021
Análise de Mercado

Preço do quilo frango vivo tem cenários diferentes nas principais praças

Segunda quinzena de setembro fechou sua primeira semana com contrastes no preço do frango vivo; em Santa Catarina ocorreu uma forte queda; já no Paraná, ligeira alta e nas demais praças houve estabilidade.

14 municípios do PR superam R$ 1 bilhão em Valor Bruto da Produção Agropecuária
23 de Setembro de 2021
Produção

14 municípios do PR superam R$ 1 bilhão em Valor Bruto da Produção Agropecuária

Produção no campo paranaense foi de R$ 128,273 bilhões, estabelecendo mais um recorde, com crescimento real de 21% em relação a 2019

Custos de produção de frangos de corte e de suínos ficam mais caros em agosto
21 de Setembro de 2021
Embrapa

Custos de produção de frangos de corte e de suínos ficam mais caros em agosto

Tanto o ICPFrango quanto o ICPSuíno voltaram a ficar acima da barreira dos 400 pontos, chegando aos 407,53 e 407,15 pontos, respectivamente

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem
20 de Setembro de 2021
Insumos

Preços do milho seguem tendências distintas entre regiões, mas recuos prevalecem

De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez segue baixa, com muitos compradores ausentes do mercado – esses agentes sinalizam ter estoques, pelo menos para curto prazo, e estão à espera de novas desvalorizações

Suspensão PIS e COFINS para Importação de Milho
23 de Setembro de 2021
Posicionamento

Suspensão PIS e COFINS para Importação de Milho

A operação beneficia a toda a cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura

Isolamento de Salmonella spp. de origem avícola
22 de Setembro de 2021
Análise Laboratoriais

Isolamento de Salmonella spp. de origem avícola

Galinhas infectadas com muitos dos sorovares de Salmonella podem albergar o agente sem apresentarem sinais clínicos, o que torna o isolamento desta bactéria um fundamento básico na prevenção da enfermidade, principalmente em seres humanos

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade