AveSui2021
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Tecnologia

Abatedouro móvel é solução para reduzir abates clandestinos e impulsionar pequenos negócios

País tem 6 abatedouros móveis em funcionamento; normativa federal específica impede maior disseminação da tecnologia

Anderson Oliveira | Redação
15-Jan-2021 11:52

abatedouros móveis, notícias, fotos atualizadas , Lucas Scherer
O uso do abatedouro móvel, segundo o pesquisador da Embrapa, permite a redução de investimentos e despesasLucas Scherer

Uma solução para reduzir os abates clandestinos de animais de produção e impulsionar pequenos negócios em qualquer parte do Brasil já existe há cinco anos. A falta de normativa federal específica e um mecanismo que possibilite o uso de emendas parlamentares para financiamento impedem a disseminação da tecnologia. Em 2016, um dos modelos desenvolvidos pela Embrapa Suínos e Aves e a empresa Engmaq com foco no abate de suínos foi exibido na AveSui América Latina. Atualmente, apenas seis abatedouros modulares estão em funcionamento no país.

O pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Elsio Figueiredo, afirma que a tecnologia foi pensada para atender estados e municípios com o abate e processamento em pequena escala, principalmente para regiões remotas, onde não existam abatedouros convencionais. “Pode pertencer a empresas como tem sido o caso até agora, como também pode pertencer a cooperativas e sociedades. Até agora nenhuma proposta para cooperativas, sociedades ou prefeituras foi finalizada”, afirma.

AveSui2021_dentro

Um dos motivos que tem impedido a disseminação dos abatedouros móveis pelo país, segundo ele, é que todas as iniciativas com recursos de emenda parlamentares estão paralisadas. “Não existe um mecanismo que facilite o trâmite do projeto no sistema de inspeção quando depende de emenda parlamentar”, explica. Isso tem dificultado o prosseguimento das propostas.

Com a normatização dos abates em pequena escala pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) na instrução normativa 16 de 23 de junho de 2015 (que ainda não está regulamentada para todas as espécies), o pesquisador entende que será muito facilitada a aprovação de projetos em pequena escala pelos estados e municípios.

“Por exemplo, atualmente a referência para abate e processamento de suínos está na Portaria 711, de 1º de novembro de 1995, e a de aves na portaria 210, de 10 de novembro de 1998, ambas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, mas que regulamentam os grandes empreendimentos, dessa forma exigindo muito para pequenos abatedouros”, cita.

Desse modo, com uma normativa federal para abate em pequena escala a tendência é de que mais empreendimentos de pequeno porte legalizado sejam criados, refletindo assim na redução do abate clandestino.

 

UM IMPULSO AOS PEQUENOS NEGÓCIOS

abatedouros móveis, notícias, fotos atualizadas , Idair Piccinin
Abatedouro modular de frangos em pequena escala, o “Caipirito”, instalado no município de Presidente Getúlio-SCIdair Piccinin

AveSui2021_dentro

O uso do abatedouro móvel, segundo o pesquisador da Embrapa, permite a redução de investimentos e despesas. Isso porque o abatedouro móvel seria utilizado por mais de um empreendimento dentro de um projeto aprovado pelos organismos.

Ele cita o caso de módulos móveis que estão em funcionamento para o abate de pescados. “Depois de estacionado, lavado, higienizado e operadores prontos o abate começa quando o fiscal da inspeção liberar. A mobilidade no caso indica que o módulo específico de abate pode se deslocar entre empreendimentos aprovados e registrados naquele sistema de inspeção”, diz.

Elsio acrescenta que o que tem inviabilizado muitos dos pequenos empreendimentos é que os abates são programados para apenas um dia por semana ou por 15 dias ou por mês. Depois de abatidos os animais e colocadas as carcaças na câmara fria as pequenas empresas se dedicam à fabricação e cura de produtos até o próximo abate. “Nesses casos, os módulos de abate, que são os itens mais caros, permanecem a maior parte do tempo ocioso. A configuração móvel visa reduzir esse desperdício de infraestrutura”, comenta.

Segundo o pesquisador, pode-se utilizar essa ideia também para resolver os problemas da falta de abatedouros entre pequenos municípios. Ou seja, compartilhando o módulo de abate com vários municípios pertencentes ao mesmo consórcios de municípios, dispondo de um fiscal de inspeção para o consórcio.

 

ABATEDOURO TEM FORMATO MODULAR

abatedouros móveis, notícias, fotos atualizadas ,
Abatedouros móveis

AveSui2021_dentro

São várias as configurações e modelos de abatedouros móveis. As configurações são suínos e ruminantes; aves e coelhos; e entreposto de pescado (peixes, crustáceos, quelônios, jacarés). “Por exemplo, o de suínos não serve para aves, mas serve para ovinos, caprinos e bovinos se essa configuração for solicitada”, conta Elsio Figueiredo. Também são vários tamanhos de módulos, existindo tanto módulos simplificados para o trabalho de duas pessoas com operações manuais (por exemplo, o casal da empresa rural), quanto para vários empregados e também com operações mecanizadas.

 

INICIATIVA DE SANTA CATARINA

O estado de Santa Catarina foi pioneiro no desenvolvimento dessa solução tecnológica, que serve para o Brasil e para países com os mesmos desafios para o abate e processamento de animais em pequena escala. A Fundação de Amparo à Pesquisa de Santa Catarina (Fapesc) financiou parte da pesquisa e do protótipo do módulo de abate (coração da solução tecnológica). A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) participou no projeto financiado pela Fapesc auxiliando na definição do projeto do protótipo e dos fluxos e equipamentos necessários para atender a legislação de Santa Catarina, bem como nas avaliações dos abates experimentais realizados no protótipo para aferição dos equipamentos e práticas necessárias e no apoio pelo Serviço de Inspeção Estadual-SIE.

Além disso, o Instituto Federal Catarinense-IFET Concórdia, participou do projeto por meio da colaboração e apoio para os testes de abate para validação da tecnologia, que foram realizados com os protótipos Módulo de Abate e Módulo Câmara Fria acoplados às suas instalações de abate por aproximadamente um ano de permanência.

AveSui2021_dentro

A Prefeitura de Concórdia apoiou com o Serviço de Inspeção Municipal-SIM. A empresa Engmaq, localizada em Peritiba-SC, que é fabricante de equipamentos para frigoríficos, aprovada para fornecimento às grandes empresas do setor, inovou ao investir tempo e recursos no desenvolvimento desse projeto em parceria com a Embrapa, mantendo hoje uma linha dedicada à essa tecnologia de abate e processamento em pequena escala e em módulos pré-fabricados atendendo todo o Brasil e países vizinhos com essa tecnologia. A Embrapa Suínos e Aves liderou esse projeto, que inclui a participação da Embrapa Pesca e Aquicultura, de Palmas-TO e a Embrapa Caprinos e Ovinos de Sobral-CE.

 

ABATEDOUROS EM FUNCIONAMENTO NO PAÍS

De acordo com a Embrapa Suínos e Aves, pelo menos seis abatedouros modulares, móveis e estacionários estão funcionando pelo país nos seguintes locais e condições:

 

1.            Entreposto móvel de pescado para grandes peixes de propriedade da Empresa Mar e Terra de Dourados-MS. Equipamento com autonomia para despesca de pirarucu diretamente nos tanques de produção da empresa e condução desse pescado para o frigorífico com SIF. O equipamento construído sobre o chassi de caminhão novo trucado e traçado possui silos de água potável, gelo em escamas e gerador para funcionar também em locais sem energia elétrica.

 

2.            Entreposto móvel (Itinerante) de pescado, pertencente à empresa PISCIS, de Fortaleza-CE para operar na despesca e processamento de tilápia produzida em tanques rede no açude Castanhão em Jaguaribara-CE. Esse entreposto funcionou em 2018, mas devido à grande estiagem, a produção de tilápias foi reduzida e o entreposto ficou inoperante por um tempo. Trata-se de um equipamento sofisticado construído em container Reefer remanufaturado de 12 m de comprimento, conduzido por carreta rodoviária padrão, para processar tilápias e armazenar, em tanques, as vísceras e rejeitos da filetagem para extração de óleo e fabricação de farinha de pescado na fábrica da empresa na região metropolitana de Fortaleza. Esse equipamento teve a participação da Embrapa Pesca e Aquicultura.

AveSui2021_dentro

 

3.            Complexo de abatedouros e frigoríficos modulares para ovinos e caprinos. Instalado e funcionando com sistema de inspeção estadual (mas preparado para adesão ao Sisbi/Suasa) em São João da Ponte-MG na empresa agropecuária Fortaleza Santa Teresinha. Esse complexo é constituído por 8 módulos para abater e processar ovinos e caprinos no sistema kosher para atender a comunidade judaica. Essa empresa se dedica à produção de bovinos, ovinos, caprinos e peixes, além de outras atividades agropecuárias.

 

4.            Na mesma empresa e local está também instalado um abatedouro e frigorífico para pescado. Trata-se de um equipamento sofisticado construído em 2 módulos de 12 m de comprimento para processar pirarucu. Esse equipamento teve a participação da Embrapa Pesca e Aquicultura.

 

5.            Abatedouro modular de suínos, caprinos e ovinos, fabricado para a empresa ARO de Raul Soares-MG, que ainda não está instalado. Equipamento composto por 2 módulos de 12 m cada, sendo um abatedouro e outro câmara fria.

 

6.            Abatedouro modular de frangos em pequena escala, o “Caipirito”, instalado no município de Presidente Getúlio-SC, operando em condições experimentais com inspeção municipal e necessitando completar as instalações de efluentes. Equipamento construído em um módulo de 6 m de comprimento (atualmente todos os módulos são produzidos novos na Engmaq, não utilizando containers), com capacidade para abater, processar, embalar e expedir carne de frangos em bandejas e em embalagens plásticas.

AveSui2021_dentro

 

Assuntos do Momento

Disponible en español Disponible en español
Câmara Uruguaia de Aves busca aumentar a produção, o consumo e a exportação de aves
05 de Março de 2021
Mercado Externo

Câmara Uruguaia de Aves busca aumentar a produção, o consumo e a exportação de aves

A Câmara Uruguaia de Processadores de Aves (Cupra) afirma ter interlocutores específicos para a avicultura no Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP)

Disponible en español Disponible en español
Pilgrim's é multada em US$ 107 mi por definir o preço do frango
05 de Março de 2021
Cartel

Pilgrim's é multada em US$ 107 mi por definir o preço do frango

Um dos maiores produtores de frango dos Estados Unidos se declara culpado de fixar preços e é condenado a uma multa criminal de 107 milhões de dólares.

AveSui2021_dentro
Preço médio dos ovos em fevereiro é o maior da série
01 de Março de 2021
Ovos

Preço médio dos ovos em fevereiro é o maior da série

As cotações elevadas estão atreladas à menor oferta, principalmente de ovos maiores, uma vez que o setor intensificou os descartes das poedeiras mais velhas.

Nos EUA, alguns frigoríficos anunciam planos de vacinas, mas muitos trabalhadores ainda estão esperando
05 de Março de 2021
Internacional

Nos EUA, alguns frigoríficos anunciam planos de vacinas, mas muitos trabalhadores ainda estão esperando

Empresas dizem que o progresso precisa ser mais rápido depois que os surtos de coronavírus paralisaram matadouros e adoeceram milhares de trabalhadores

Conheça a trajetória de Deborah de Geus, finalista na categoria Mulheres Cooperadas
05 de Março de 2021
Prêmio Quem é Quem

Conheça a trajetória de Deborah de Geus, finalista na categoria Mulheres Cooperadas

Formada em Medicina Veterinária, possui forte participação em entidades de classe e comitês internos da cooperativa Frísia, colaborando com a melhoria da produção de outros associados

Embarques de carne de frango crescem em volume e receita, enquanto os de carne suína ficam abaixo do reportado em fevereiro de 2020
02 de Março de 2021
Exportação

Embarques de carne de frango crescem em volume e receita, enquanto os de carne suína ficam abaixo do reportado em fevereiro de 2020

A exportação de carne de aves e suas miudezas avançou 8,29% em receita; os embarques de carne suína totalizaram 18,71% menos em relação a fevereiro do ano passado

Mais assuntos do momento