Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Fiscalização

Adapar treina operadores de drones para defesa sanitária vegetal

A Agência de Defesa Agropecuária adquiriu seis drones para garantir que os procedimentos de vigilância sejam realizados com maior segurança, qualidade e agilidade

Redação, com informações AEN
28-Jun-2022 08:25

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) inicia nesta terça-feira (28), em Londrina, a capacitação prática de servidores para o uso de drones em levantamentos sobre a conservação do solo agrícola e apoio em ações de fiscalização. A atividade presencial complementará o módulo teórico realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e pela Adapar, por meio da Escola de Gestão. Recentemente, a Adapar adquiriu seis drones, visando que os procedimentos de defesa agropecuária sejam realizados com maior segurança, qualidade e agilidade.

“A direção da agência entendeu a importância dessa modernidade para manutenção da sanidade vegetal. É uma ferramenta que amplia a capacidade de vigilância e proporciona mais agilidade nas ações de prevenção e controle de pragas”, salientou o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Rezende Young Blood.

Segundo ele, o uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARP), também conhecidas como drones, tem se mostrado uma ferramenta muito mais ágil para levantamento de áreas com maior fragilidade e passíveis de ocorrências de danos. “É possível realizar o diagnóstico muito mais preciso e rápido do uso e manejo do solo por meio da geração de imagens processadas”, ponderou.

O uso da tecnologia já está sendo avaliado em levantamentos fitossanitários, como o feito recentemente na bananicultura para erradicar foco de praga no Litoral do Estado. Todas as informações/imagens processadas ficarão à disposição dos fiscais e poderão ser, eventualmente, cedidas para o público de interesse da Adapar, como os responsáveis técnicos, produtores rurais e instituições integradas em projetos conservacionistas, visando contribuir, inclusive, para proposição de políticas públicas.

Os drones ficarão em regiões onde há mais demanda por ações de fiscalização. Inicialmente, eles estarão a serviço do Programa de Fiscalização do Uso do Solo Agrícola e daqueles que dizem respeito à Defesa Sanitária Vegetal. A utilização da ferramenta nessas atividades faz parte de um projeto idealizado e desenvolvido pela Coordenação da Área de Solos. Posteriormente, será expandido para as demais áreas da defesa agropecuária realizada pela Adapar.

CURSO – O Curso de Operadores para o Uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas para os Fiscais de Defesa Agropecuária da Adapar será ministrado até quinta-feira (30) pelo coordenador da Área de Conservação e Uso do Solo Agrícola da Adapar, Luiz Renato Barbosa, e pelo técnico da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento Pedro Guglielmi Júnior.

O módulo teórico, realizado por meio da Escola de Gestão, teve como objetivo a utilização da ferramenta em aerolevantamentos, priorizando ações preventivas e de educação sanitária. Entre as atividades estudadas estão o correto uso e manejo conservacionista de solo e águas e a vigilância fitossanitária nos monitoramentos e levantamentos de ocorrência de pragas.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade