Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Multinacional

ADM tem crescimento de 51% de lucro líquido no segundo trimestre

Resultado da multinacional alcançou US$ 712 milhões no período

Redação com informações de Valor
28-Jul-2021 08:56 - Atualizado em 28/07/2021 10:00

A americana Archer Daniels Midland (ADM), uma das maiores empresas de agronegócios do mundo, informou que encerrou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de US$ 712 milhões, 50,8% mais que em igual intervalo de 2020 (US$ 472 milhões). Houve avanços em praticamente todos as áreas de atuação da companhia, com destaque para o aumento das exportações de milho para a China e para o incremento da produção de óleos vegetais e etanol na América do Norte.

O lucro operacional ajustado da múlti subiu 44,3% na comparação, para US$ 1,16 bilhão, enquanto a receita líquida cresceu 40,8% e atingiu US$ 22,9 bilhões. “Esta é uma ADM muito diferente daquela de alguns poucos anos atrás, e nossa transformação está longe de acabar”, afirmou Juan Luciano, CEO da ADM, em nota.

O executivo destacou que a empresa vem obtendo produtividades melhores em áreas como serviços agrícolas, oleaginosas e soluções de carboidratos e continua a investir em inovação, com reflexos positivos particularmente no segmento de nutrição. “Estamos elevando nossas expectativas para o crescimento anual do lucro da área de nutrição para 20%”, disse Luciano.

No segmento de serviços agrícolas e oleaginosas, houve lucro operacional de US$ 570 milhões no segundo trimestre, uma alta de 38%, impulsionada pelo cenário favorável de preços na originação de grãos na América do Norte e pelo aumento das exportações a partir da região, especialmente de milho para a China. O aumento da demanda por óleos vegetais favoreceu o negócio de esmagamento, e a recuperação do food service em países como os EUA também puxou os resultados de outros produtos refinados.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade