Vale
09-Out-2017 17:06 - Atualizado em 09/10/2017 17:17
Sanidade

África do Sul luta para combater influenza aviária

Vírus de alta patogenicidade continua pressionando a indústria africana

De acordo com relatório oficial da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), desde que o primeiro caso de H5N8 foi confirmado na África do Sul, há três meses, já foram notificados 67 surtos da doença entre galinhas, avestruz e aves selvagens no país.  Nesta semana, a reportagem da WattAgNet noticiou mais 15 surtos da doença no em produções de frango de corte, entre a metade de agosto e o dia 22 de setembro, afetando aproximadamente 2 milhões de animais.

Segundo a publicação, quatro produções de avestruz notificaram a doença, também houve a notificação de 4 mil patos infectados, além de casos isolados em duas pequenas produções familiares. Os surtos se concentraram em duas províncias, Eastern Cape e na Província do Cabo Ocidental.

Países africanos em alerta

Por outro lado, o país africano Níger declarou que o país está livre de ambos os vírus H5N1 e H5N8.  Com vigilância intensiva, países como Camarões mostram bons resultados na prevenção das doenças. Camarões continua sem detectar os vírus em frangos de corte ou aves selvagens, já a Nigéria não detecta surtos desde o início de agosto.

Já o Zimbabwe relatou surtos do H5N8 em uma grande produção de frango, em Lanark. Embora a fazenda permaneça em quarentena, não há evidências de que o vírus tenha se espalhado para outros locais. Com informações do site WattAgNet.

Redação
Deixe seu Recado