Agroceres Multimix
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Sustentabilidade

Agricultura defende qualificação de produtores para atender critérios de rastreabilidade e sustentabilidade

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Fernando Camargo, a disseminação de técnicas produtivas sustentáveis a todos os produtores rurais é o caminho para impulsionar um comércio agrícola inclusivo, lucrativo e positivo para o meio ambiente.

Redação, com informações do Globo Rural
18-Nov-2021 08:02

Qualificar os produtores rurais é condição para que se possa atender critérios de sustentabilidade e de rastreabilidade na agricultura, tendo em vista o cumprimento de metas relacionadas às mudanças climáticas. Se isso não for feito, parte desses produtores, hoje menos eficientes, podem ser excluídos e levados à pobreza. Foi o que defendeu o Ministério da Agricultiura, no último fim de semana, durante evento sobre florestas, agricultura e o comércio de commodities, na COP26, em Glasgow, na Escócia.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do Ministério da Agricultura, Fernando Camargo, a disseminação de técnicas produtivas sustentáveis a todos os produtores rurais é o caminho para impulsionar um comércio agrícola inclusivo, lucrativo e positivo para o meio ambiente.

“Não é possível exigir padrões de sustentabilidade, transparência e rastreabilidade sem qualificar, de forma concomitante, os produtores para atendê-los. Do contrário, corremos o risco de criar um sistema de exclusão, condenando os produtores menos eficientes à pobreza e ao uso de práticas predatórias”, disse o secretário, de acordo com o divulgado pelo Ministério da Agricultura.

O secretário destacou que o Brasil subscreve a declaração conjunta e esteve engajado em todos os grupos de trabalho do Diálogo FACT (Forest, Agriculture and Commodity Trade), um plano de colaboração apoiado por 28 países para combater o desmatamento por meio do comércio global sustentável em commodities agrícolas. “A agricultura é parte da solução. Através do diálogo FACT, podemos transformar essa máxima em realidade”. 

O painel foi apresentado pela ex-primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e pela diretora do International Trade Centre, Pamela Coke-Hamilton. O debate contou com a participação da diretora-geral de Meio Ambiente da Comissão Europeia, Florika Fink-Hooijer; do CEO da Sainsbury's, Simon John Roberts; da representante da Força-Tarefa da Tropical Forest Alliance.

Emissões de carbono
Em outro painel, o representante brasileiro abordou as tecnologias de baixa emissão de carbono já adotadas na agropecuária brasileira e as metas para a próxima década, com o Plano ABC+. De acordo com Camargo, o objetivo é disseminar as tecnologias de baixa emissão de carbono a mais 72 milhões de hectares de terras agricultáveis. “O Brasil não precisa derrubar nenhuma árvore de forma ilegal”, destacou, ainda conforme o Mapa.

O secretário disse ainda que o Brasil quer compartilhar suas experiências em tropicalização da agricultura com países de realidade semelhante, especialmente na África. Ele destacou esse desenvolvimento da agricultura como base para o país deixar de ser um país importador líquido de alimentos e atingiu a condição de terceiro maior exportador mundial de alimentos, fibras e bioenergia. “A partir de investimentos na tropicalização de variedades de plantas e animais, no desenvolvimento de práticas produtivas adaptadas às condições naturais do nosso território e na qualificação de nossos produtores”.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade