Guia Gessulli
07-Mar-2019 14:01
Nutrição

Alterações na nutrição das aves podem reduzir o peito amadeirado

O peito amadeirado é uma miopatia já bem conhecida entre os produtores. Pode acometer as mais diversas genéticas, afetando a qualidade, textura e cor da carne do peito do frango.

A produção de carne de frango aumentou significativamente nas últimas décadas e o maior consumo de carne pela população mundial exigiu da produção melhores índices produtivos, especialmente do ganho de peso, conversão alimentar e rendimento dos músculos do peito. Essas alterações implicaram em algumas miopatias, sendo o peito amadeirado a mais importante delas.

O peito amadeirado é uma miopatia já bem conhecida entre os produtores. Pode acometer as mais diversas genéticas, afetando a qualidade, textura e cor da carne do peito do frango. Ainda não se sabe ao certo qual é a causa exata desta condição, mas os recentes estudos apontam para um problema centrado na rápida taxa de crescimento.

Para evitar isso, a AB Vista, um dos três maiores players de enzimas do mundo, vem estudando continuamente possíveis maneiras de reduzir o peito amadeirado nos frangos de corte, tentando reduzir seu aparecimento e diminuindo o impacto financeiro para os produtores. Uma das soluções encontradas pela empresa está relacionado ao uso de superdosagem da sua enzima Quantum Blue (fitase), incluída na alimentação das aves visando a redução dos casos desta miopatia.

A superdosagem de enzima fitase influencia muitas áreas da nutrição, e pesquisa inicial realizada pela AB Vista sugere que, quando há a combinação de superdosagem com outros fatores que sustentam o sistema antioxidante, como zinco, ferro e vitamina E, há algum sucesso em reduzir a gravidade da condição. Essencialmente a condição pode ser aliviada, porque há uma ajuda na capacidade da ave de lidar com o estresse ambiental e metabólico, ao mesmo tempo em que também apoia a crescente demanda por esses nutrientes para a taxa de crescimento e o desenvolvimento do músculo do peito.

“Com uma dose de 1500 FTU’s de Quantum Blue da AB Vista, há uma redução significativa na porcentagem de animais afetados. Isso se dá pela liberação de nutrientes conseguidos por meio da superdosagem de fitase, combinada com outros nutrientes que sustentam o status antioxidante do animal”, revela Dr. Alexandre Barbosa de Brito, Gerente Técnico LAM da AB Vista.

A empresa defende a ideia do uso da enzima e acredita ser essa uma possibilidade de tratamento viável. “Acreditamos que o uso de Quantum Blue utilizada em estratégia de Superdosing permite uma maior porcentagem de minerais, que pode ser a resposta para evitar essa miopatia”, conclui Dr. Alexandre.

AB Vista
Deixe seu Recado