Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Até 2030, China importará até 110 milhões de t de soja por ano, projeta CNA

O documento traz um panorama sobre o agronegócio e as perspectivas do governo chinês para os próximos 10 anos das principais culturas agrícolas do país: arroz, trigo, milho, soja, oleaginosas, algodão, açúcar, legumes, batatas, frutas, carne suína, carne aviária, carne bovina e ovina, ovos lácteos, pescados e rações

Redação com informações de Isto É
26-Ago-2021 15:50

O Outlook 2021-2030 é resultado da 8ª edição da Conferência sobre as Perspectivas Agrícolas da China, realizada em Pequim em abril deste ano, e foi produzido pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China (Mara) e pela Academia de Ciências do Agronegócio da China (CAAS). O documento traz um panorama sobre o agronegócio e as perspectivas do governo chinês para os próximos 10 anos das principais culturas agrícolas do país: arroz, trigo, milho, soja, oleaginosas, algodão, açúcar, legumes, batatas, frutas, carne suína, carne aviária, carne bovina e ovina, ovos lácteos, pescados e rações.

Com relação à soja, o volume de importação deve se manter próximo do patamar atual e crescer em torno de 1% ao ano, até chegar a 110 milhões de toneladas em 2030. A produção crescerá a uma taxa média de 0,7% ao ano no período, até atingir 20,87 milhões de toneladas. Com isso, o atendimento ao consumo interno de soja do país, da ordem de 127 milhões de toneladas em 2030, dependerá majoritariamente das importações. Em 2020, a China comprou no exterior 100,33 milhões de toneladas do grão, 13,3% acima do volume de 2020.

As importações de milho da China crescerão de forma expressiva em 2021, mas a tendência é de desaceleração nos próximos anos. Em 2021, o volume importado do cereal deve alcançar 20 milhões de toneladas, 77% a mais do que os 11,3 milhões de toneladas importadas pelos chineses em 2020. A partir de 2022, contudo, as políticas de incentivo à produção doméstica do grão devem levar a uma gradual redução das importações, até chegarem a 6,5 milhões de toneladas em 2030. Já a produção deve aumentar, em média, 2,4% ao ano pelos próximos anos, atingindo aproximadamente 332 milhões de toneladas em 9 anos.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade