Guia Gessulli
30-Set-2016 13:12 - Atualizado em 13/10/2016 13:39
Produção

Aumenta o número de granjas avícolas registradas em Minas Gerais

,
Até o mês de setembro deste ano, 71% das 1.861 granjas ativas no estado se adequaram às exigências da portaria 1555
Programa Estadual de Sanidade Avícola do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) comemora o aumento dos registros de granjas avícolas comercias de corte e postura em Minas Gerais. Até o mês de setembro deste ano, 71% das 1.861 granjas ativas no estado se adequaram às exigências da portaria 1555, que estabeleceu prazo para o registro desses estabelecimentos. Antes da publicação da portaria, 38% das granjas haviam obtido o registro.

Os estabelecimentos que não se registraram até a data determinada pela portaria (março de 2016) assinaram um termo de compromisso de um ano com o IMA e estão se adequando para cumprir a Instrução Normativa 56, do Ministério da Agricultura, que estabelece os procedimentos para registro, fiscalização e controle das granjas avícolas comerciais em todo o país.

“Atribuo os resultados positivos à dedicação e ao esforço dos produtores que estão seguindo as normas determinadas pelo IMA, e ao empenho dos fiscais agropecuários ao orientarem sobre a importância de obtenção do registro. E, também, às empresas que apoiam nossa fiscalização junto ao sistema integrado”, argumenta Izabella Hergot, médica veterinária e responsável pelo Programa Estadual de Sanidade Avícola do IMA.

Izabella Hergot lembra que a cartilha “Registro de Granjas Avícolas Comerciais” – desenvolvida pelo IMA e disponível em www.ima.mg.gov.br - para auxiliar os produtores na adequação e registro dos estabelecimentos, foi de grande valia para a conquista dos resultados. A cartilha de apoio aos produtores faz parte do esforço do IMA junto às entidades representativas da cadeia produtiva da avicultura, para que as granjas venham a adotar ações preventivas a entrada de doenças como a influenza aviária (gripe de frango), sem ocorrência de caso notificado no país. “Mesmo livre das doenças, estamos sempre atentos às medidas de biosseguridade”, pondera a médica veterinária.  

Ela explica que entre as medidas de biosseguridade para a prevenção destas doenças, está a instalação de telas anti-pássaros nos galpões de criação; cercas que impeçam a entrada de outros animais no núcleo de criação; restrição e controle de pessoas alheias ao processo de produção; desinfecção de veículos na entrada e saída das granjas, assim como o controle de trânsito destes veículos e o uso de roupas limpas pelos funcionários.

O diretor-geral do IMA, Marcílio Magalhães ressalta que “o atual momento exige da avicultura comercial práticas modernas e seguras de produção. Quanto maior for o rigor da defesa sanitária no processo produtivo, menor serão os riscos, já que nosso estado é um dos maiores produtores  do país”.

 

Avicultura com informações IMA
Deixe seu Recado