Alltech AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Entrevista

Avicultura brasileira terá novamente pela frente um ano volátil e desafiador

Embora com oportunidades no contexto internacional gerada por situações como a Guerra na Ucrânia e casos de Influenza Aviária na Europa, os custos tendem a permanecer em patamares elevados e o poder de compra do consumidor interno apertado, podendo resultar em um menor ritmo de crescimento

Redação AI/SI
25-Mai-2022 09:41

O mercado mundial de carnes aponta para um cenário positivo ao frango brasileiro nos próximos anos. Isso, no entanto, não demonstra um horizonte amplamente favorável. Os indicativos do contexto nacional e internacional abrem oportunidades, mas acompanhada de desafios. A expectativa é de um 2022 de alta volatilidade, como já vivido pelo setor de carnes ao longo do ano passado.

No cenário externo, a Guerra na Ucrânia abre algumas possibilidades às exportações avícolas do Brasil. A avicultura ucraniana era responsável por cerca de 10% das exportações de frango, e com o prolongamento do conflito, não conseguirá atender os seus tradicionais clientes. Pelo tamanho da produção brasileira, é possível atender a parte destes volumes, já que diversos destes mercados já são atendidos pelo país. No entanto, a guerra deflagrada pela Rússia em território ucraniano deve elevar os preços de grãos, já que ambos são importantes produtores.

Os casos de Influenza Aviária na Europa – e agora nos EUA – podem ser decisivos para o Brasil manter seus volumes no mercado internacional, até ampliando. Por lado, europeus não devem deixar de lado questões como segurança dos alimentos e outras diversas exigências, que emperram uma maior entrada do frango brasileiro no continente europeu. Mas, como o Brasil não tem registro de Influenza Aviária e Peste Suína Clássica, se tem oportunidades em novos potenciais mercados. O mundo também tenta se recuperar dos impactos econômicos causados pela pandemia de Covid-19.

“O frango tem sido um dos menos impactados não só em termos de oferta - pois possui o menor ciclo de abate e com isso maior celeridade para retomada de produção -, mas também por conta de preços. Por ser a carne mais barata, e considerando o momento de redução no ritmo econômico nos últimos anos, ela tem se tornado a carne mais demandada nesse cenário de recuperação econômica global’, indica Wagner Yanaguizawa, analista econômico com foco em proteína animal do Rabobank Brasil.

Nesta entrevista, o especialista aborda os desafios para o setor brasileiro de proteína animal no contexto internacional, assim como suas oportunidades, avaliando a produção na América Latina, avaliando desafios sanitários e provocados pela Guerra na Ucrânia. Confira.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade