Guia Gessulli
15-Ago-2016 15:45 - Atualizado em 15/08/2016 16:15
Comentário

Benefícios da peletização na fase inicial - Por Cristiane Sanfelice

A nutrição é uma das fortes aliadas da bem sucedida avicultura brasileira. Custos com a alimentação das aves chegam a 70% do total de produção. Diante disso, a utilização de dietas econômicas e formuladas para atender às exigências nutricionais das aves é necessária para manter a qualidade e lucratividade da cadeia avícola. 

personalidades, fotos atualizadas ,
No Brasil, grande parte da ração fornecida é na forma farelada, entretanto, visando melhora na eficiência de utilização dos alimentos, a peletização (agregação de partículas moídas sob temperatura, umidade e pressão mecânica elevada) deve ser vista como uma ferramenta para melhora do desempenho das aves, através do aumento de ganho de peso, redução da conversão alimentar, aumento da digestibilidade, maior palatabilidade, redução da contaminação por microrganismos patogênicos na ração, dentre outros benefícios, como uniformidade da ração, maior consumo, preferência das aves e redução do tempo de gasto com a alimentação.

Na fase inicial, as aves necessitam de maiores cuidados com a nutrição principalmente pela transição da fase pós-eclosão, o rápido desenvolvimento corporal e intestinal e pela dificuldade de absorção dos nutrientes. Por isso, cuidados com níveis nutricionais, forma física e contaminação da ração são imprescindíveis para o desempenho final do lote. Aves que recebem uma nutrição e manejo adequado nas fases pré-inicial e inicial estarão melhor preparadas para os desafios durante a criação e apresentam um melhor desempenho final e aumento do índice de eficiência produtiva, uma vez que o desempenho final do lote está diretamente relacionado ao desenvolvimento da fase inicial. Estudos comprovam os benefícios da peletização seguida de trituração (reduz o tamanho do pellet e torna viável a ingestão pelo pintinho) na alimentação pré-inicial das aves, pois se obtém maior ganho de peso, aumento de uniformidade do lote, maior digestibilidade e sobrevivência das aves, redução do desperdício e separação do alimento.

A peletização oferece inúmeros benefícios como os citados, mas, para que seja viável, alguns cuidados devem ser tomados como, por exemplo, a seleção e qualidade dos ingredientes, controle adequado do processo com temperatura, pressão e umidade adequadas, granulometria dos ingredientes durante a moagem. Avaliações devem ser feitas constantemente para ajustar a qualidade do pellet, como a medida do PDI (Pellet Durability Index), índice de durabilidade que mede a resistência ao desgaste do pellet quando submetido a esforço de fricção e manipulação, o qual, aliado à medida da dureza (até 3 kg), estima qual será a porcentagem de finos no comedouro. Outro mecanismo é o controle da porcentagem de finos na saída da matriz (máximo 5%) e do resfriador (máximo de 12%). Todas essas medidas são necessárias para o ajuste da qualidade.

A peletização feita corretamente deve ser vista como aliada da nutrição pré-inicial e inicial das aves. Cuidados e análises devem ser feitos constantemente e, quando adequados, os resultados serão animais bem nutridos e melhor preparados para as demais fases de criação apresentando aumento do desempenho final.  

*Cristiane Sanfelice é Zootecnista e Doutora em Produção Animal, Especialista em Nutrição de Aves Vaccinar

Redação Avicultura Industrial
Deixe seu Recado