Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
EUA

Cargill e Wayne-Sanderson concordam em pagar US$ 85 milhões para encerrar alegações antitruste

O acordo civil entre as empresas e o governo ocorre após uma longa revisão da venda da Sanderson Farms para uma joint venture entre a Cargill e a empresa de investimentos agrícolas Continental Grain

Broadcast agro
26-Jul-2022 08:43

A Cargill e a recém-formada Wayne-Sanderson Farms concordaram em pagar US$ 85 milhões para encerrar alegações de violação das leis antitruste ao compartilhar informações sobre os salários de trabalhadores do setor de processamento de frango.

O acordo civil entre as empresas e o governo ocorre após uma longa revisão da venda da Sanderson Farms - a terceira maior processadora de frango dos Estados Unidos - para uma joint venture entre a Cargill e a empresa de investimentos agrícolas Continental Grain. O acordo, que também aborda a forma como os criadores de frango são pagos, veio três dias após a conclusão do negócio de US$ 4,5 bilhões. A aquisição combinou as operações de frango de Sanderson com as da Wayne Farms, uma empresa menor de frango controlada pela Continental, para formar uma nova empresa de capital fechado com sede na Geórgia.

O Departamento de Justiça disse ontem (25) que a Cargill, a Sanderson Farms, uma empresa de consultoria de dados e a Wayne Farms compartilharam por décadas informações sobre salários e benefícios de uma maneira que manteve baixo o pagamento aos trabalhadores das unidades de processamento. O departamento disse também que as empresas avícolas não forneceram aos criadores de frango informações suficientes sobre os sistemas usados para remunerá-los pela criação de aves para abate.

Como parte do acordo com o governo, os criadores que trabalham para a Wayne-Sanderson não serão mais pagos de acordo com o chamado sistema de torneios. Sob esse sistema, as empresas de frango comparam o desempenho dos criadores para determinar quanto eles ganham. O sistema de torneio é usado por muitas grandes empresas de frango dos EUA para pagar seus criadores. Os agricultores com bom desempenho ainda receberão bônus.

A Wayne-Sanderson é responsável por aproximadamente 15% da produção de frango dos EUA. A Tyson é a maior fornecedora de frango no país, com cerca de um quinto do mercado, seguida pela Pilgrim's Pride, com cerca de 17%, segundo dados da publicação Watt Poultry USA.

Um porta-voz da Cargill disse que os méritos do acordo superam os possíveis custos de um litígio prolongado. Ele disse que as alegações do Departamento de Justiça não têm mérito e que a empresa não admite qualquer irregularidade.

"Embora estejamos decepcionados com as afirmações feitas pelo Departamento de Justiça e sua abordagem à revisão de nossa recente transação, cooperamos durante todo o processo", disse o porta-voz. Um porta-voz da Wayne-Sanderson disse que a empresa está satisfeita com o fato de o assunto ter sido resolvido.

O acordo prevê que as empresas pagarão cerca de US$ 85 milhões em restituição aos trabalhadores das unidades de processamento, dos quais a Cargill pagará US$ 15 milhões. O governo também vai impor um monitor de conformidade nomeado por um tribunal e pago pelas empresas, para supervisionar instalações de processamento, granjas e conformidade antitruste por uma década.

As empresas se envolveram em "um esquema descarado para trocar informações sobre salários e benefícios" que "prejudicou uma geração de trabalhadores das fábricas", disse Doha Mekki, a segunda autoridade antitruste do Departamento de Justiça.

O acordo ocorre num momento em que o governo Biden, legisladores e reguladores intensificam a pressão sobre as indústrias de carnes e aves dos EUA, que são controladas por um pequeno número de grandes empresas.

A decisão de impedir a Wayne-Sanderson Farms de usar o sistema de torneio é uma grande mudança na forma como as empresas de frango fazem negócios com os criadores. Isso poderia dar aos rivais da empresa uma vantagem competitiva ou levar a uma mudança mais ampla do modelo na indústria, disseram autoridades do setor.

A Wayne-Sanderson ainda oferecerá bônus aos criadores que tiverem bom desempenho e incluirá um salário-base, assistência para acesso a capital e um programa de participação nos lucros para produtores e funcionários, disse o porta-voz da Cargill.

Grupos de lobistas de empresas de frango reagiram às críticas ao sistema de torneio, dizendo que a competição recompensa as boas práticas na criação de frangos.

Alguns grupos de produtores elogiaram o acordo do Departamento de Justiça com as empresas para acabar com esse sistema de remuneração. "Embora estejamos decepcionados com o fato de o Departamento de Justiça não ter bloqueado essa fusão, aplaudimos a agência por escutar as preocupações dos produtores", disse em comunicado a Farm Action, grupo que representa agricultores e pecuaristas.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade