Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Chegou a vez do agro conhecer e praticar a Gestão Lean

"Trata-se uma forma de pensar, uma prática transformacional, originada no setor automobilístico - mais especificamente na Toyota - e que começou a ser amplamente difundida para outras áreas a partir da década de 1990. "

Bruno Battaglia

 É gerente de Projetos e especialista em lean no agronegócio do Lean Institute Brasil (www.lean.org.br), onde atua desde 2010. Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas pela ESALQ –USP.

30-Mar-2021 08:36 - Atualizado em 30/03/2021 10:00

A partir desta edição, teremos a grata oportunidade de tratar quinzenalmente sobre os conceitos e técnicas de uma filosofia de gestão inovadora: o pensamento lean.

A palavra “lean”, que em português significa “magro” é um termo bastante conhecido no mundo da gestão empresarial. Trata-se uma forma de pensar, uma prática transformacional, originada no setor automobilístico - mais especificamente na Toyota - e que começou a ser amplamente difundida para outras áreas a partir da década de 1990.

Podemos definir o lean como um conjunto de princípios, técnicas e ferramentas que visam maximizar a geração valor sob a perspectiva do cliente, consumindo o mínimo de recursos e utilizando ao máximo o conhecimento e habilidades das pessoas envolvidas com o trabalho. Trata-se de um corpo de conhecimento fundamentado na capacidade de identificar e eliminar desperdícios continuamente e resolver problemas de maneira sistemática. Isso implica repensar a maneira como se lidera, gerencia e desenvolve as capacidades, pois é através do pleno engajamento das pessoas envolvidas com o trabalho que se consegue vislumbrar oportunidades de melhoria e ganhos sustentáveis nos processos produtivos, nas operações logísticas, nas rotinas administrativas e gerenciais.

Atualmente, praticamente todos os setores da economia já possuem iniciativas, exemplos e resultados substanciais com a  adoção desta forma de fazer gestão. Desde o setor automotivo - onde o lean nasceu e prosperou - até todos os demais setores industriais e de serviços como bancos, seguradoras, mineradoras, hospitais, construtoras, empresas de tecnologia, entre outros.

Curiosamente, o agronegócio é um dos setores que apenas recentemente começou a despertar maior interesse sobre o assunto. Se levarmos em conta os resultados obtidos por outros setores que já estão praticando lean há mais tempo, podemos dizer que certamente o campo e a agroindústria brasileira serão amplamente beneficiados ao conhecer melhor – e praticar – a gestão lean, dando um salto em produtividade e competitividade, colocando o agro em um patamar de desempenho ainda melhor que o atual.

 Embora os princípios lean sejam muito simples em sua essência, alguns deles são contra - intuitivos, requerendo assim um certo esforço e dedicação (tanto da equipe operacional, quanto das lideranças) para serem bem compreendidos e aplicados corretamente.

 Entre os fundamentos básicos do pensamento lean, podemos destacar:

  • Foco no valor gerado nos processos, com a visão do cliente;
  • Distinguir as ações e etapas que criam valor das que não criam;
  • Eliminar ou reduzir as atividades que não agregam valor;
  • Melhorar sempre;
  • Envolver e capacitar as pessoas;
  • Lideranças mais próximas da linha de frente e com uma visão estratégica;
  • Gestão visual e transparência sobre a performance;
  • Resolução de problemas de maneira eficaz (na causa raiz);
  • Construir qualidade consistentemente em todas as etapas do processo.

Uma das premissas da maneira lean de pensar é desmistificar a palavra “problema”. Se em sua propriedade, em sua empresa, os problemas ainda são vistos de forma negativa e as pessoas se sentem culpadas em expô-los, está na hora de repensar. Na gestão lean, falar de problemas e resolvê-los faz parte do dia a dia de todos os colaboradores e líderes. É entendendo e resolvendo problemas que se alcançam patamares sucessivamente melhores de performance mas, para tanto, o primeiro passo é  criar um ambiente colaborativo, em que não sejam apontados os “culpados”, e sim que sejam expostas as “causas” dos problemas.

Ao trabalharmos com o método científico para analisar e resolver problemas, eliminando o “medo da culpa”, naturalmente as pessoas se tornam mais abertas a falar sobre problemas como forma de encontrar oportunidades riquíssimas de melhorar a maneira como o trabalho é realizado, como os produtos e serviços são produzidos e, em última análise, como o negócio é gerenciado. Resolvendo problemas, fazemos com que o trabalho seja executado com menor esforço, com mais produtividade, mais segurança, mais qualidade, menores custos, etc.

Podemos adotar o lean em todas as áreas e níveis de uma empresa, fazenda ou indústria: da estratégia à operação; do presidente ao mecânico; da produção à distribuição. Pensar e praticar lean poupa capital e recursos, gera aprendizados e novos conhecimentos; aumenta a competitividade e a capacidade produtiva; proporciona um ambiente criativo para surgirem as melhorias, gera mais renda e melhores empregos. E não exige investimentos.

A gestão lean está apenas começando no agronegócio, mas é um caminho sem volta. Acreditamos que o lean pode contribuir para um salto no desempenho do setor para que ele consiga gerar cada vez mais valor para o país, usando melhor os recursos disponíveis.

Assuntos do Momento

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade