AveSui2021
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil

Desempenho das commodities explica o valor exportado em 2020

Agência Brasil
18-Jan-2021 09:45

O Boletim de Comércio Exterior (Icomex) divulgado, na sexta-feira (15), pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FVG/Ibre) aponta que o único resultado positivo em 2020 no setor foi o superávit comercial. A análise foi feita diante do cenário de superávit da balança comercial de US$ 50,9 bilhões, dos investimentos estrangeiros no país de janeiro a novembro de US$ 33 bilhões e da previsão de recuo no Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) de 4,7%. Mesmo positivo, o superávit comercial contribuiu para a queda do déficit em conta-corrente em um momento de retração da entrada de capital no país.

De acordo com o Icomex, a China contribuiu com US$ 33,6 bilhões no superávit, enquanto entre os principais parceiros a contribuição dos Estados Unidos foi negativa. O saldo com a União Europeia foi positivo em US$ 1,5 bilhão, no entanto, o valor é abaixo dos países da América do Sul, inclusive Argentina, de US$ 6 bilhões, e do restante da Ásia.

Na edição de dezembro, o boletim do Icomex estimava um superávit de US$ 55 bilhões. A diferença entre a previsão e o fechamento, segundo o Ibre, foi provocada por uma importação de US$ 4,8 bilhões de plataformas de petróleo, que provocou um déficit na balança comercial de dezembro de US$ 41,6 milhões. “Sem as plataformas, o superávit em dezembro seria de US$ 4,7 bilhões e a nossa estimativa para o ano estaria correta”, diz o boletim.

A análise destaca também que mesmo excluindo as plataformas, as importações aumentaram na comparação interanual, o que também ocorreu no mês de novembro. “Esse resultado sinaliza um movimento de ompras positivo e, logo, de alguma melhora no nível de atividade”.

AveSui2021_dentro

Commodities

O desempenho das commodities, na avaliação do Ibre, explica os 66% do valor exportado em 2020, o que representa o maior percentual da série histórica iniciada em 1998, quando foi de 40%. O valor das exportações de commodities cresceram 0,5% de 2019 para 2020 e das não commodities recuaram 18,5%. Em volume, as commodities cresceram 7,4% e as não commodities recuaram 13,5%.

Com o aumento de volume de 7,4%, o setor agropecuário foi líder nas exportações brasileiras em 2020, explicada pelo aumento do volume das exportações para a China (17%). A participação do país saiu de 28,1% para 32,3% de 2019 para 2020. Os demais países da Ásia também registraram contribuição positiva de 11,1%, e explicam 14,9% das exportações brasileiras. 

Ainda na comparação anual, todos os outros principais parceiros recuaram nas exportações. No mês de dezembro repetiu-se o comportamento do mês de novembro, quando foi registrado aumento das vendas para a Argentina, demais países da América do Sul e outros países da Ásia.

De 2019 para 2020, o volume importado teve queda em todos os setores e a indústria extrativa registrou a maior queda, de 16,1%. Em dezembro, a indústria de transformação foi destaque com variação positiva de 12,7% nas vendas externas e aumento de 66,8% nas compras. “Aqui, no entanto, é preciso descontar o efeito das plataformas [de petróleo]. Sem as compras de plataformas, a variação foi de 21,2%”, diz o boletim.

A queda nas importações puxada pela recessão do nível de atividade influenciou o superávit da balança comercial, como também o aumento nas exportações de commodities direcionadas para a China, que reduziu a queda nas vendas externas em um ano de forte retração na demanda mundial, diz ainda o Icomex.

AveSui2021_dentro

Previsões para 2021

O boletim indica que as incertezas relacionadas à pandemia ainda não desapareceram dos cenários mundial e do Brasil, mas alguns pontos sugerem condições positivas para as exportações brasileiras. O primeiro está ligado à alta nos preços das commodities, que já começou a ser observado no segundo semestre de 2020 e se refletiu na melhora dos termos de troca, a partir de julho de 2020. 

“Os investimentos chineses demandaram compras de minério de ferro e cobre. Ademais, os preços de alguns alimentos como soja, carne, e de trigo, cresceram com retrações de oferta devido a secas e os efeitos que ainda perduraram da crise suína na China”.

Ainda conforme a análise, há um certo grau de sincronização de pacotes fiscais expansionistas na Europa, Estados Unidos e China, que sustentam o aumento da demanda. Para o Ibre, a posse de Joe Biden na Presidência dos Estados Unidos poderá intensificar as políticas expansionistas e, assim, provocar o enfraquecimento do dólar, que costuma ser acompanhado do aumento dos preços de commodities.

“O aumento de preços das commodities é uma boa notícia para o Brasil. A melhora nos termos de troca associada aos preços de commodities ajuda as exportações brasileiras de manufaturas com os parceiros sul-americanos exportadores de commodities. No entanto, para que o Brasil continue sendo um dos líderes nas vendas de commodities, especialmente agrícolas, o governo deve priorizar sua política ambiental e climática”, recomenda o Ibre.

Assuntos do Momento

Disponible en español Disponible en español
Câmara Uruguaia de Aves busca aumentar a produção, o consumo e a exportação de aves
05 de Março de 2021
Mercado Externo

Câmara Uruguaia de Aves busca aumentar a produção, o consumo e a exportação de aves

A Câmara Uruguaia de Processadores de Aves (Cupra) afirma ter interlocutores específicos para a avicultura no Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP)

Disponible en español Disponible en español
Pilgrim's é multada em US$ 107 mi por definir o preço do frango
05 de Março de 2021
Cartel

Pilgrim's é multada em US$ 107 mi por definir o preço do frango

Um dos maiores produtores de frango dos Estados Unidos se declara culpado de fixar preços e é condenado a uma multa criminal de 107 milhões de dólares.

AveSui2021_dentro
Preço médio dos ovos em fevereiro é o maior da série
01 de Março de 2021
Ovos

Preço médio dos ovos em fevereiro é o maior da série

As cotações elevadas estão atreladas à menor oferta, principalmente de ovos maiores, uma vez que o setor intensificou os descartes das poedeiras mais velhas.

Nos EUA, alguns frigoríficos anunciam planos de vacinas, mas muitos trabalhadores ainda estão esperando
05 de Março de 2021
Internacional

Nos EUA, alguns frigoríficos anunciam planos de vacinas, mas muitos trabalhadores ainda estão esperando

Empresas dizem que o progresso precisa ser mais rápido depois que os surtos de coronavírus paralisaram matadouros e adoeceram milhares de trabalhadores

Conheça a trajetória de Deborah de Geus, finalista na categoria Mulheres Cooperadas
05 de Março de 2021
Prêmio Quem é Quem

Conheça a trajetória de Deborah de Geus, finalista na categoria Mulheres Cooperadas

Formada em Medicina Veterinária, possui forte participação em entidades de classe e comitês internos da cooperativa Frísia, colaborando com a melhoria da produção de outros associados

Embarques de carne de frango crescem em volume e receita, enquanto os de carne suína ficam abaixo do reportado em fevereiro de 2020
02 de Março de 2021
Exportação

Embarques de carne de frango crescem em volume e receita, enquanto os de carne suína ficam abaixo do reportado em fevereiro de 2020

A exportação de carne de aves e suas miudezas avançou 8,29% em receita; os embarques de carne suína totalizaram 18,71% menos em relação a fevereiro do ano passado

Mais assuntos do momento