Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Negócios

Com alta de custos, Aurora cogita reduzir produção de frango

Central catarinense considera corte após encerrar 2020 com o melhor resultado de sua história

Valor Econômico
11-Fev-2021 08:47

Recém-saída do melhor ano de sua cinquentenária história, a catarinense Aurora Alimentos, terceira maior indústria de aves e suínos do país, prepara-se para uma temporada mais turbulenta. A disparada dos grãos que compõem a ração apertou as margens do negócio de carne de frango, que responde por cerca de 30% do faturamento.

Sem alívio de custos no horizonte, a cooperativa já discute reduzir sua produção. Em entrevista ao Valor, o presidente da central de cooperativas, Neivor Canton, comemorou o resultado recorde do último passado - desempenho puxado pelas exportações de carne suína à China -, mas reconheceu que a situação do mercado de carne de frango é negativa. “O frango já está no vermelho”, ressaltou ele.

Por ser uma cadeia de produção longa e viva, não se pode reduzir os abates de aves de uma hora para outra. Se decidir não reduzir a produção, evitando a eclosão dos ovos para que o alojamento de pintinhos nas granjas seja cortado, a indústria só verá o impacto em 45 dias - até lá, as milhares de aves que estão nas granjas terão de ser abatidas. Diante disso, frisou que as discussões para reduzir o ritmo de produção de frango já ocorrem. “Tenho que tomar uma decisão. Está na pauta”, acrescentou Canton.

Entre analistas, o forte ritmo de produção de frango é tema de debate desde o ano passado. Alguns chegaram a demonstrar espanto com a resistência das agroindústrias em cortar a produção, uma das poucas alternativas para tentar equilibrar as margens - ao reduzir a oferta, a chance de uma recomposição de preços aumenta e a demanda por grãos para ração recua.

AveSui2021_dentro

“Me preocupa o setor produzindo normal e exportando em ritmo fraco”, disse ao Valor, em recente entrevista, César Castro Alves, analista do Itaú BBA. Pelos cálculos do banco, o spread da carne de frango no mercado interno também está próximo dos piores níveis da história. Em janeiro, ele chegou a 45% - a pior marca, de 40%, foi registrada em 2012, quando o preço do milho disparou devido ao impacto de uma das piores secas já registradas nos Estados Unidos. Desde 2006, a média para esse spread é de 73%, conforme o analista.

Para a Aurora, o negócio de carne suína, o principal da cooperativa, é um contraponto às adversidades da carne de frango. Mesmo que os grãos também tenham reduzido as margens, a demanda internacional - especialmente da China - segue forte, apesar da desaceleração habitual que precede o Ano Novo Lunar.

Se a demanda asiática confirmar as boas expectativas, a Aurora contará com um bom suporte para 2021. No ano passado, vale lembrar, a suinocultura já foi a atividade mais rentável para a central de cooperativas, garantindo o desempenho recorde.

A receita bruta da Aurora cresceu 33% no ano passado, chegando a R$ 14,6 bilhões. Nas exportações, a receita aumentou 61,9%, para cerca de R$ 5 bilhões; em volume, o crescimento foi de 23%. A China respondeu por 40% das receitas no exterior. No Brasil, o faturamento da cooperativa cresceu mais de 20%, somando R$ 9,5 bilhões.

A lucratividade da Aurora também melhorou. Segundo Canton, as sobras representaram 9% do faturamento em 2020 - em torno de R$ 1,3 bilhão. Desse total, 50% será distribuído aos cooperados e o restante, reinvestido para ampliar as unidades já existentes. No ano anterior, as sobras não chegaram a 6%. Como uma central de cooperativa, a Aurora tem 11 cooperativas filiadas que reúnem 67 mil famílias (produtores de aves, suínos, grãos e leite).

AveSui2021_dentro

Com sete frigoríficos de suínos em operação, a cooperativa abateu quase 6,1 milhões de cabeças no ano passado, crescimento de 13,5%. A média diária de abates de suínos aumentou 11,8%, de 22,5 mil para 25,1 mil. Nas unidades de frango, os abates totais subiram 1,96% no ano passado, para 246,8 milhões de aves. Atualmente, quatro abatedouros de suínos e três de frango da Aurora estão habilitados a exportar à China.

Assuntos do Momento

Presidente da Aurora fala sobre expansão da produção avícola, exportações e perspectivas para 2021
23 de Fevereiro de 2021
Live

Presidente da Aurora fala sobre expansão da produção avícola, exportações e perspectivas para 2021

Neivor Canton irá explicar o projeto de crescimento da avicultura da cooperativa em 20%, destacando ainda a expectativa de ampliar os embarques de frango e carne suína para a China em live às 10 horas no canal TV Gessulli

Como iniciar uma produção de suínos?
19 de Fevereiro de 2021
TV Gessulli

Como iniciar uma produção de suínos?

A TV Gessulli conversou com o analista da Embrapa Suínos e Aves, Armando Lopes do Amaral, que trouxe dicas práticas de como montar uma granja de suínos

AveSui2021_dentro
Valorização dos ovos favorece recuperação do poder de compra do avicultor
18 de Fevereiro de 2021
Postura

Valorização dos ovos favorece recuperação do poder de compra do avicultor

Em janeiro, a relação de troca entre a proteína e esses insumos foi a maior da série histórica do Cepea

Escócia confirma segundo caso de gripe aviária
19 de Fevereiro de 2021
Sanidade

Escócia confirma segundo caso de gripe aviária

Autoridades de saúde animal identificaram um surto de gripe aviária H5N1 altamente patogênica em Fife.

 

Cobb-Vantress premia Ad'oro por melhor desempenho em SP
19 de Fevereiro de 2021
Premiação

Cobb-Vantress premia Ad'oro por melhor desempenho em SP

Empresa avícola do interior do Estado recebe premiações por Melhores Ovos Totais por Ave Alojada e Melhor Eclosão Total

VBP do agro atinge R$ 1 tri em 2021; avicultura crescerá 22,5%
24 de Fevereiro de 2021
Crescimento

VBP do agro atinge R$ 1 tri em 2021; avicultura crescerá 22,5%

A estimativa do Ministério da Agricultura indica que o Valor Bruto da Produção na pecuária crescerá 5,1% neste ano, puxado por setores como frango, carne bovina e leite

Mais assuntos do momento