Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Evento

Conectividade e construção de habilidades digitais são fundamentais para a expansão de tecnologias entre os pequenos produtores agropecuários

O evento “Dinâmicas e perspectivas do AgriTech na América Latina”, organizado pela Sociedade de Agricultores da Colômbia (SAC) e pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), teve como palestrante o Diretor Geral do IICA, além de funcionários do BID e da Microsoft.

Redação
03-Nov-2021 15:21

Conectividade, alfabetização digital, soluções tecnológicas práticas e adequadas às necessidades reais dos pequenos e médios produtores, bem como parcerias público-privadas efetivas, são elementos medulares para se expandir a adoção e a implementação do AgriTech na América Latina e no Caribe (ALC).

Nisso concordaram os peritos convocados para o quinto evento da série Conversas pendentes sobre o campo, iniciativa da Sociedade de Agricultores da Colômbia (SAC) e do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), que aborda as tendências e os desafios globais que estão transformando os sistemas agroalimentares e as ações e inovações que se deve adotar para aproveitar oportunidades, mitigar riscos e enfrentar os desafios que essas transformações trazem para o setor agrícola.

Do novo diálogo, Dinâmicas e perspectivas do AgriTech na América Latina, participou o Diretor Geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero, além da especialista sênior do BID Lab, Ana Castillo, e o Diretor de Assuntos Corporativos, Externos e Jurídicos da Microsoft Colômbia, Andrés Rengifo.

A conversa foi moderada pelo jornalista do noticiário colombiano CMI, Juan Armando Rojas.

A palavra AgriTech, ou AgTech, engloba uma amplíssima gama de novas tecnologias que se aplicam na agricultura a fim de aumentar a sua eficiência, produtividade e sustentabilidade e que, conforme os especialistas ressaltaram nesse evento, é crucial para a transformação dos sistemas agroalimentares, a garantia da segurança alimentar e nutricional, a redução das lacunas existentes entre o urbano e o rural e a melhoria das condições de vida dos agricultores familiares.

“Com as novas tecnologias podemos e devemos incorporar os jovens, os quais em alguns casos farão os desenvolvimentos e aplicarão as tecnologias. Para isso acontecer, temas pendentes como conectividade e alfabetização digital deverão ser encarados, porque existe uma grande fronteira do conhecimento e da revolução em germinação no setor agropecuário que o nosso continente não pode deixar passar”, indicou Otero.

O Diretor Geral do IICA acrescentou que, em matéria de alfabetização digital, “apenas 17% dos produtores em geral sabem tirar proveito dos smartphones”, havendo ainda uma tarefa de conscientização a ser feita para “entenderem o que querem e do que precisam para dar saltos de produtividade”.

“O agricultor de hoje e de amanhã necessita do pleno acesso às novas tecnologias e ao empoderamento; precisa ser protagonista do novo tempo em que a agricultura é chamada para ser, como vimos na recente Cúpula da ONU sobre a transformação dos sistemas alimentares, um eixo estratégico de qualquer estratégia de desenvolvimento sustentável”, complementou o titular do organismo especializado em setor agrícola e ruralidade.

A especialista sênior do BID Lab enfatizou que “80% dos produtores da ALC são pequenos e médios e que o grosso das soluções do AgriTech hoje é concebido sobretudo para as grandes empresas”. Sendo assim, parte dos desafios é a articulação dos esforços público-privados para “desenvolver e elaborar estratégias que facilitem soluções pertinentes inclusivas e adaptadas às necessidades reais dos agricultores”.

“A adoção de tecnologias no nível de pequeno produtor é possível. Temos que pensar que hoje é necessário ter um olhar mais inclusivo, incorporar a perspectiva de gênero e a diversidade. O tamanho da propriedade rural não deveria ser uma limitante para se poder utilizar tecnologias exequíveis, adequadas e pertinentes ao fim para o qual estão sendo desenvolvidas”, afirmou Castillo.

“Temos um papel a desempenhar na aceleração dessas coisas e na redução dessas desigualdades campo-cidade, porque não importa onde se viva, como cidadãos todos temos o direito de poder ter e receber a mesma qualidade de serviços. Isso traz um grande desafio para todos, que implica não só a tecnologia, mas também os temas das habilidades digitais, da revisão de processos, da geração de novas capacidades nos produtores que hoje talvez não as tenham – essa transformação vai muito além”, acrescentou.

O Diretor de Assuntos Corporativos, Externos e Jurídicos da Microsoft Colômbia enfatizou que, apesar das diversas limitações e restrições, deve-se ressaltar que a tecnologia “está chegando ao campo e fazendo entender a esse destinatário o uso mais efetivo, produtivo e sustentável da sua terra e do seu cultivo”.

Ele foi claro ao indicar a transcendência das sinergias entre os setores público e privado para se avançar na incorporação de mais e novas tecnologias com maior rapidez em todos os cantos da ruralidade, onde “os sistemas nacionais de ciência e tecnologia, como aglutinadores desses grandes esforços, podem ser uma via muito importante para se alcançar essa realização”.

“Nós, como sociedade, levamos muito tempo falando das parcerias público-privadas, conceito que está muito desenvolvido, mas que é preciso ser levado à prática. Os Estados têm que perder o medo de trabalhar com o setor privado, com o banco multilateral, com os organismos internacionais e com os think tanks. Hoje, nenhuma solução de problema é individual, mas precisa do concurso de muitos atores”, concluiu Rengifo.

No encontro, os peritos concordaram também em que a pandemia da Covid-19 potencializou e acelerou o uso e a oferta de novas tecnologias, propiciando uma transformação digital que está em andamento, mas que tem ainda muito caminho a percorrer.
 

Assuntos do Momento

Brasil deverá atingir recorde na produção de aves em 2021
29 de Novembro de 2021
Crescimento

Brasil deverá atingir recorde na produção de aves em 2021

Aumento, de 4,5%, tem relação direta com a queda do poder aquisitivo da população, que passou a procurar proteínas mais baratas

Cuidados essenciais no controle de temperatura dos aviários em dias de calor
01 de Dezembro de 2021
Conteúdo Técnico

Cuidados essenciais no controle de temperatura dos aviários em dias de calor

Oferecer um controle térmico adequado às aves em dias de calor é um dos grandes desafios dos produtores, que precisam observar o comportamento das aves e manter o equilíbrio da temperatura e umidade do ar.

Preços do frango e do boi sobem mais de 40% no ano até setembro
01 de Dezembro de 2021
Mercado Interno

Preços do frango e do boi sobem mais de 40% no ano até setembro

Já o valor pago ao produtor de carne suína avançou 19,7%, segundo o relatório Mercados e Preços Agropecuários

No Paraná, aviários são destruídos durante temporal em Ampére
29 de Novembro de 2021
Vendaval

No Paraná, aviários são destruídos durante temporal em Ampére

No município de Ampére, os estragosmais graves ocorreram na zona rural

Contrabandistas transportam milhões de dólares de carne não regulamentada para a China todos os anos e o governo parece não conseguir impedi-los
30 de Novembro de 2021
Ilegal

Contrabandistas transportam milhões de dólares de carne não regulamentada para a China todos os anos e o governo parece não conseguir impedi-los

Milhares de quilos de carne são contrabandeados por meio de barcos de alta velocidade

Aurora Alimentos é eleita a campeã do prêmio "Melhores do Agronegócio"
01 de Dezembro de 2021
Reconhecimento

Aurora Alimentos é eleita a campeã do prêmio "Melhores do Agronegócio"

Avaliados pela Serasa Experian, resultados que levaram à escolha da cooperativa catarinense levaram em conta dados financeiros e ações de responsabilidade socioambiental

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade