Mayekawa
12-Mar-2019 09:15
Ovos

Consumo de ovos cresce e empresas apostam em novas linhas do produto

Para o IOB, os números de consumo do alimento por habitante têm crescido devido aos trabalhos de promoção do ovo e divulgação de seus benefícios

O consumo de ovos pelos brasileiros aumentou em 2018. Segundo dados do Instituto Ovos Brasil, cada brasileiro consumiu em média 212 ovos durante o ano passado. Acompanhando esta demanda, a produção também cresceu. Em 2018 foram produzidos 44 bilhões de unidade, ante a 39,9 bilhões em 2017. Um crescimento de 10%.

Para o IOB, os números de consumo do alimento por habitante têm crescido devido aos trabalhos de promoção do ovo e divulgação de seus benefícios. Para o presidente do grupo Mantiqueira, Leandro Pinto, com menos dúvidas e mais conscientes dos benefícios os consumidores tem consumido mais. “Atribuímos esse crescimento a uma mudança globalizada da atitude em relação a este alimento, que se tornou o número um da mesa dos brasileiros. Depois de atravessar um período onde pairavam dúvidas sobre seus benefícios, inúmeras pesquisas mundiais comprovaram que ele foi 100% absolvido, comprovando seu alto teor nutricional, elegendo-o como fonte riquíssima pra a saúde e fortalecimento de todas as idades”, afirma.

Com esse aumento no consumo, a procura por linhas específicas de ovos também aumentou. Ovos gourmet, livres de gaiola, caipira e até mesmo enriquecidos ganham cada vez mais espaço na mesa do consumidor. O presidente do grupo estima cada linha deve crescer 5% em 2019.

Segundo Pinto, Uma das versões mais procuradas por quem cozinha profissionalmente é o Ovo gourmet. “Eles têm a cor da gema mais intensa e, por isso, são ideais para quem se preocupa com a estética do prato, pois proporciona um visual mais bonito, colorido”.  Outra tendência apontada por ele são os ovos livres de gaiolas. “O aumento na procura pelo consumidor aumentou em praticamente todas as linhas, pois os brasileiros estão consumindo mais todos os tipos de ovos, inclusive os Happy Eggs, que são ovos produzidos por galinhas criadas livres de gaiolas, uma tendência mundial”.

Para cada linha há um preço. Pinto explica que depende do público, da classe e dos objetivos.  “Os valores variam isso porque alguns têm até embalagem sustentável e tecnologia para a higienização dos ovos. Por isso, é importante que o consumidor entenda as variedades disponíveis nas prateleiras, e esteja ciente das suas escolhas.” Completa

 

Caroline Mendes/Redação AI
Deixe seu Recado