Guia Gessulli
19-Set-2018 08:30
Comentário Avícola

Controle do peso do ovo em matriz pesada - Por Cláudio Araújo Franco

Por Cláudio Maurício Araújo Franco, médico veterinário, assessor Técnico Aves - Vaccinar 

Na produção de pintos de um dia, a rentabilidade do negócio está ligada diretamente ao peso e uniformidade dos ovos.  É frequente também que as empresas desejem ovos mais pesados no início da produção, de modo a aumentar o índice de aproveitamento dos ovos e a melhoria da qualidade da progênie. Além disso, as empresas têm como meta, trabalhar para a redução do peso exagerado no terço final do período de produção, mitigando assim problemas de qualidade da casca, melhorar o índice de aproveitamento de ovos incubáveis, diminuir a contaminação, obter mais pintos/ave/alojada, proles saudáveis e maximizar a planta de incubação reduzindo a quantidade de ovos jumbos por bandeja de incubação, o que se torna economicamente favorável no terço final da produção das matrizes.

As linhagens modernas de reprodutoras pesadas de alto rendimento possuem grande capacidade de crescimento muscular e mesmo em produção ainda podem converter o excesso de proteína e aminoácido em músculos e, também, como característica, essas aves apresentam acúmulo de gordura mais tardio. O peso corporal é o fator mais importante que influencia no peso do ovo. Além disso, ele também afeta a maturidade sexual e todo o resto do período produtivo.

Uma das principais ferramentas para equilibrar o ganho de peso se baseia na nutrição das aves, tanto na ingestão da quantidade de alimento fornecido (Gramas/Ave/Dia – GAD), quanto na ingestão de nutrientes. Neste artigo, focaremos os aspectos práticos dos incrementos e retiradas de ração durante toda a vida produtiva das aves.

Fases importantes de fornecimento dos incrementos e retiradas de ração na produção:

1.      Subida para o pico de produção. Fase para melhorar o aproveitamento dos ovos

Partimos do princípio de que na recria todas as metas de uniformidade de peso corporal, conformação e maturidade sexual foram atingidas, atendendo à fisiologia cronológica das aves, além de condições apropriadas de equipamentos e uma adequada nutrição das reprodutoras na fase de recria.

O objetivo do trabalho de arraçoamento no início da produção é aumentar o aproveitamento dos ovos no terço inicial da produção, atingir o pico desejado com persistência da produção e garantir um repasse de nutrientes da mãe para a progênie com o aumento do ovo e da gema, principalmente nas primeiras semanas da produção. Para isso, nesse período, torna-se necessário que a meta de peso das aves seja monitorada constantemente e o peso do ovo esteja, no mínimo, no padrão da linhagem.

Esse início é tão importante que cada lote é considerado individual. Lotes uniformes na recria entram em produção de forma muito rápida. Os níveis da ração deverão ser adequados para atender as aves nesse período, atendendo à manutenção, o crescimento e o forte início da postura das matrizes. Os incrementos fornecidos são crescentes e constantes, de acordo com o percentual de produção diário. Ao chegar aos 70% de postura diária, as aves devem ter acesso ao total da ração para o pico de postura.

Neste ponto, é importante conhecer os fatores que influenciam os incrementos semanais no início da produção:

  • Histórico do lote (recria, idade da transferência do lote, subida para pico de produção)
  • Peso das aves;
  • A condição corpórea;
  • O peso dos ovos;
  • Temperatura ambiente;
  • Status sanitário;
  • Níveis de energia, proteína e aminoácidos da ração.

Da mesma forma, é importante entender e monitorar cada item relacionado para que os técnicos, de forma rápida e correta, tomem as decisões necessárias.

Nas aves que recebem a quantidade de ração corretamente, o peso do ovo aumenta seguindo o padrão da linhagem para a curva de peso do ovo. Em lotes subalimentados, o tamanho do ovo fica estabilizado durante 4 a 5 dias, o que pode ser utilizado para diagnóstico rápido de aparecimento de ovos pequenos e baixa qualidade da progênie.

Para se corrigir o problema da subalimentação, a antecipação do próximo incremento pode ser feita ou, caso o lote já esteja com o máximo da ração para o pico de produção, pode-se avaliar um estímulo extra das gramaturas da ração. Por outro lado, lotes superalimentados têm características de ganho de peso acima do padrão, maior índice de ovos de cama, superovulação, alto índice de ovos de duas gemas e aumento da incidência de postura interna levando a um maior índice de mortalidade.

2.      Retirada da ração pós-pico:

É preciso permanecer atento ao momento certo de retirada de ração após o pico de postura, justificando assim a manutenção da produção e o adequado peso do ovo no terço final da produção.

Início de retirada da ração via massa de ovo

Proporciona a persistência da produção, o correto aporte de nutrientes ao embrião, peso do ovo ajustado no terço final da vida e evita ganho de peso das aves acima do normal, após o pico de postura.

O pico de produção atualmente é alcançado por volta de 29 a 30 semanas de vida e por volta de 33 a 34 semanas incide o pico de massa de ovo. Nesse momento, ocorre o requerimento máximo de nutrientes para a produção de ovos. Em algum ponto desse período, a redução das gramas ave dia deverá ocorrer, de preferência quando se inicia a queda da massa de ovo.

Para que seja possível a retirada da ração via massa de ovo, a compilação semanal desse indicador é fundamental

Massa de ovo =   Peso do ovo  x % de prod. semanal de ovos

                                                            100

3.      Retirada programada da ração pós-pico de massa do ovo:

Ao iniciar as retiradas de ração logo após a redução da massa de ovo, normalmente, o peso corporal e a progressão do peso do ovo passam a ser importantes itens a serem monitorados e utilizados como referência até a saída do lote. Aqui, ressaltamos que, além dos itens citados, a condição corporal (fleshing e empenamento) e o tempo de consumo da ração deverão ser, da mesma forma, monitorados. Essas duas importantes informações são geralmente negligenciadas na rotina diária.

Falhas no controle do peso corporal, nesse período, podem reduzir consideravelmente a persistência de produção, influenciar diretamente no peso do ovo e, consequentemente, na sua qualidade externa e interna.

Abaixo as Informações pertinentes para a tomada de decisão de retirada de ração pós-pico de massa de ovo, até a saída do lote:

  • Percentual da produção de ovos x padrão da linhagem;
  • Peso das aves com avaliações semanais até as 40 semanas e a cada duas semanas, a partir dessa data;
  • Peso semanal dos ovos: podendo inclusive decidir o momento da troca de fase das rações de reprodução;
  • Condição corpórea das aves: reserva de gordura, fleshing e cobertura de penas;
  • Tempo de consumo da ração - Após o pico de massa de ovo o tempo de consumo da ração deve permanecer entre três horas e meia a quatro horas.

Conclusão:

O controle do peso corporal das fêmeas na fase reprodutiva é considerado o item mais importante para a manutenção do peso do ovo. Em condições normais, esses controles passam pelas “mãos” dos envolvidos pelo processo com os corretos incrementos e retiradas de alimento durante toda a vida produtiva das aves. Para isso, torna-se necessário o monitoramento de parâmetros pré-estabelecidos durante a produção.

Os monitoramentos semanais são fundamentais para a tomada de decisões. Pesagem das aves e do ovo, condição corpórea das aves, temperatura ambiental, tempo de consumo da ração, bem como as tendências do percentual da produção se tornam básicas para o entendimento do controle da curva de peso das aves em matriz pesada e, consequentemente, ovos com pesos adequados em toda a fase reprodutiva.

Redação

Cláudio Araújo Franco

Cláudio Araújo Franco é Médico Veterinário, especialista em nutrição de aves Vaccinar

Deixe seu Recado