AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Argentina

Cresce a demanda por carne de frango e suína em Posadas, na Argentina

“No total mais ou menos nós argentinos consumimos 110 kg de carne por ano e agora caiu para 47 kg, segundo os últimos dados que são de 2021”, disse Mariela Bernardi, administradora do Mercado Concentrado Posadas.

Redação com informações de El Territorio
23-Jun-2022 09:46

Os altos custos da carne bovina levam os consumidores missionários, neste caso, a migrar sua dieta para outras alternativas, como frango e porco, dois dos produtos mais procurados no Mercado Concentrador de Posadas.

“Obviamente não estamos isolados na realidade argentina, então vemos que houve uma queda no consumo de carne bovina, no total mais ou menos nós argentinos consumimos 110 kg de carne por ano e agora caiu para 47 kg, segundo os últimos dados que são de 2021”, disse Mariela Bernardi, administradora do Mercado Concentrado Posadas.

A mulher acrescentou que toda essa demanda por carne bovina migrou para a de frango e suína, esta última tendo um aumento significativo nos últimos tempos.

“O frango que é muito consumido na coxa, temos ofertas de três quilos a 920 pesos (1 peso = R$ 0,042 ), então isso gera que as pessoas façam a compra da semana. Quanto à carne de porco, são mais ou menos 500 pesos por kg, por exemplo, são cortes econômicos e rentáveis ??como o pernil e a paleta cortada que são usados ??para cozinhar diariamente”, explicou, acrescentando que a carne bovina é sempre um pouco maior, “a celulose está acima de mil pesos. Então as pessoas lá fora compram mais agulha, que é um corte ou ombro mais barato que a oferta é dois quilos por 1.500, mais ou menos 750 ou 800 pesos em média por kg de carne com osso.

Sobre a origem da carne, Bernardi anunciou que no caso do porco é 100% de produção local "é carne de porco que vem da província, que é produzida aqui e isso é uma vantagem sobre o resto dos negócios que trazem importações do Brasil. Oferecemos um produto fresco com um ou dois dias até três dias de abate, isso é uma vantagem de vir ao Mercado Concentrador, comprando direto do produtor”.

Quanto ao frango, ele indicou que vem de Entre Ríos e que estão procurando uma forma de ter produção local, como há algum tempo. “Na época eles estavam no mercado, hoje não estão mais, então estamos tentando recuperar um frango de origem missionária”, disse.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade