09-Mai-2017 09:37
Comentário

Cuidados com o preparo das rações - Por Juliana Batista

ração, fotos atualizadas ,
Ração
Sabemos que os custos com a alimentação de frangos de corte e poedeiras podem ser superiores a 70% dos gastos totais, impactando diretamente nos resultados econômicos e zootécnicos da propriedade. Os cuidados no processamento de uma dieta se iniciam no momento da formulação, na definição de ingredientes com composição e valor nutricional conhecidos e que atendam às exigências nutricionais das aves para os diferentes objetivos.

O primeiro passo para se formular uma ração é a caracterização dos animais para os quais essa dieta se destina. Dessa maneira é possível estabelecer as exigências nutricionais em função da aptidão (corte, postura, reprodução) e a fase de desenvolvimento (pré-inicial, crescimento, postura, etc.). Além disso, fatores como sexo, linhagem, status sanitário, objetivos zootécnicos e avaliação econômica também são considerados.

Após a definição das exigências nutricionais de cada categoria animal e fase do desenvolvimento, o próximo passo é a escolha e avaliação da composição dos ingredientes. Nessa etapa também é considerado o custo de cada matéria-prima e também é muito relevante o controle de qualidade das matérias-primas utilizadas. Devemos entregar “ao bico da ave” o que realmente foi formulado, pois, só assim, os objetivos zootécnicos e econômicos pré-estabelecidos estarão garantidos.

Outro ponto de controle fundamental é a qualidade das misturas. O objetivo da mistura adequada é conseguir um produto homogêneo e com as especificações nutricionais desenhadas. Para tal, deve-se observar as quantidades exatas de cada ingrediente da formulação, assim como respeitar o tempo de mistura para cada tipo de ração. Para misturadores verticais, o tempo varia entre 12 a 15 minutos e para os horizontais, a variação é ainda maior, podendo chegar entre 3 a 19 minutos.

Além do tempo de mistura, outros fatores devem ser levados em consideração na hora de decidir qual misturador adquirir. Entre os aspectos a serem observados estão: volume de ração a ser produzido por unidade de tempo, a densidade média da mistura, a quantidade média de líquidos a ser adicionada, custo do equipamento, automatização do processo e gastos, considerando a mão de obra para operação e manutenção. A densidade dos ingredientes que compõem a ração também deve ser observada, pois partículas maiores não se misturam bem às partículas menores.

Por outro lado, partículas minerais tendem a se aderir na base do misturador uma vez que possuem alta densidade. Vitaminas, promotores de crescimento e antibióticos também podem se prender às paredes do misturador devido à sua elevada capacidade estática. Para evitar que isso ocorra, é importante se atentar para o aterramento adequado do misturador ou, caso contrário, ocorrerão perdas desses nutrientes assim como subdosagens ou contaminação de rações subsequentes à produção com medicamentos.

Muitos são os fatores a serem observados no momento da preparação das rações. Eles vão desde a formulação à expedição do produto e fornecimento às aves. A definição clara dos objetivos desejados, a qualidade da matéria prima utilizada, além da atenção às misturas das dietas são peças primordiais para se atingir os resultados esperados e por isso toda atenção deve ser dada a todas as etapas do processo. Essas recomendações parecem simples em um primeiro momento, mas são fundamentais para o alcance da máxima rentabilidade da empresa. 

Avicultura Industrial

Juliana Batista

Juliana Batista é Médica Veterinária, Mestre em Produção Animal e Especialista em Nutrição Animal, Vaccinar

Deixe seu Recado