Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Pintos de Cortes

Custos elevados foram o grande desafio do setor de pintos de corte, que mesmo assim teve desempenho positivo

A expectativa de uma produção de 6,885 bilhões de cabeças em 2021, o que representaria um leve crescimento de 1% em relação ao ano passado; nas exportações, aumento de 36% nos volumes embarcados

Redação AI
17-Dez-2021 09:21

Foi um ano desafiador para toda a avicultura de corte e, também, para o setor de pintos de corte, extremamente afetado pelas dificuldades que se abateram sobre a atividade com o aumento do custo de produção pelas exigências no enfrentamento à Covid e o exorbitante aumento nas matérias-primas essenciais à alimentação do plantel.

“Por outro lado, as empresas que atuam no mercado de comercialização de pintos de corte e ovos férteis, por estarem com um plantel mais ajustado, tiveram dificuldades em atender a demanda existente”, destaca José Paulo Meirelles Kors, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Pintos de Corte (Apinco).

Mesmo com os desafios impostos aos produtores neste ano, o desempenho do setor pode ser considerado extremamente positivo, com o total médio produzido nos primeiros nove meses de 2021, segundo dados da Apinco, projetando para a totalidade do ano uma produção de cerca de 6,885 bilhões de pintos de corte. Se alcançado, significará crescimento anual próximo de 1%.

Em relação ao mercado externo, o total de pintos de corte exportado - considerando o volume médio embarcado até setembro/21 - pode atingir 19 milhões de unidades, representando aumento anual na casa dos 36%. “De toda forma, a representatividade desse mercado ainda é pequena, de apenas 0,3% do total nacional”, comenta Kors.

Um segmento que se destacou é o mercado de ovos embrionados e SPF (Specific Pathogen Free) para fabricação de vacinas. Embora tenha apresentado crescimento, ainda é um nicho muito restrito e com espaço para apenas algumas empresas, que alocam grandes investimentos para atuação nesse segmento.

Confirma a matéria completa no Anuário 2022 da revista Avicultura Industrial

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade