13-Jun-2017 15:55 - Atualizado em 13/06/2017 16:32
Balança Comercial

De janeiro a maio, embarques de frango tiveram incremento de 8,9% no valor exportado

De acordo com o levantamento da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), em maio de 2017, as exportações brasileiras do agronegócio atingiram US$ 9,68 bilhões, superando em 12,8% o valor registrado em igual mês do ano anterior. O setor de carnes foi o segundo mais relevante do mês, com exportações de US$ 1,22 bilhão.

Contudo, em relação a igual mês de 2016, anotou-se recuo de 4,1% no valor exportado. Com exceção de carnes, miudezas e preparações, cujas exportações aumentaram 15,9% (equivalendo a acréscimo de US$ 4,05 milhões), todos os demais itens do setor assinalaram quedas nas vendas. As exportações de carne de peru caíram 49,1% (-US$ 14,48 milhões), as de carne bovina recuaram 5,1% (-US$ 25,24 milhões) e as de carne de frango retroagiram 2,5% (-US$ 15,12 milhões).

Janeiro a maio

As exportações de carnes foram de US$ 5,99 bilhões entre janeiro e maio de 2017 (+5,4%). O incremento do valor exportado ocorreu em função do aumento de 12,3% no preço médio de exportação, enquanto a quantidade exportada declinou 6,1%. Todos os tipos de carnes exportadas apresentaram queda da quantidade exportada, enquanto os preços médios de exportação subiram para quase todas. A principal carne exportada foi a carne de frango, com US$ 2,93 bilhões ou 8,9% de aumento no valor exportado. Já as carnes suína e de peru subiram 29,1% e 18,0%, respectivamente. A carne bovina, por sua vez, teve queda de -5,8% no valor exportado, que foi de US$ 2,12 bilhões.

Entre junho de 2016 e maio de 2017 o setor de carnes somou U$S 14,52 bilhões em vendas externas. Desse montante, quase metade (47,7%) foi representado pelas exportações de carne de frango, 39,4% pela carne bovina, 9,1% pela carne suína e 1,9% pela carne de peru. Em relação aos doze meses precedentes apenas a carne suína e a de peru apresentaram crescimento em valor (+20,4% e +26,5%, respectivamente). Em quantidade também houve crescimento somente nessas duas (8,4% na carne suína e 4,4% na carne de peru).

Redação
Deixe seu Recado
;