Guia Gessulli
03-Dez-2019 09:06
Relatório

Demanda da China e consumo interno favoráveis ao frango, aponta Rabobank

Setor de avicultura brasileiro tem conseguido ampliar as margens que estavam pressionadas em 2018

Apesar de não registrar números tão favoráveis quanto os das carnes suína e bovina, o ano se aproxima do fim de maneira positiva para o frango. Em relatório divulgado nesta segunda-feira (2), o Rabobank aponta expectativas de patamares ainda mais elevados da demanda chinesa, que se tornou neste ano o principal importador da proteína avícola brasileira.

De acordo com o banco holandês, diante de um mercado mais favorável para produção e comercialização, com custos de produção menores, aumentos de exportação e crescente do ritmo de melhora do consumo doméstico, o setor de avicultura brasileiro tem conseguido ampliar as margens que estavam pressionadas em 2018.

O cenário, conforme os analistas do Rabobank, é parecido com o setor de bovinos e suínos onde as demandas internacionais tem sido o fator de maior impacto no mercado, influenciados pelo agravamento da Peste Suína Africana (PSA) no mundo. Em 2019 as exportações brasileiras de carne de frango registraram elevação de 1% em volume e 8% em faturamento (janeiro a outubro).

A expectativa do Rabobank é de que a produção brasileira de carne de frango atinja as 13,6 milhões de toneladas em 2019. Nesse período, as exportações somariam 3,8 milhões de toneladas. Já a projeção para 2020 é de 13,8 milhões de toneladas em produção com 3,9 milhões em exportação.

Com relação aos custos de produção, após um ano de preços de ração animal menores, principalmente do milho, projeções preliminares mostram que a produção brasileira em 2020 deve ser semelhante ao do ciclo anterior. Apesar da ligeira expansão de área, espera se índices de produtividades menores. Dessa forma, para 2020, os custos com nutrição animal devem apresentar um leve aumento em relação aos valores médios de 2019 movimento já iniciado no final do 3º trimestre de 2019.

Redação AI
Deixe seu Recado