Roleste
29-Jan-2019 10:57
Arábia Saudita

Descredenciamento árabe atinge único exportador de carne de pato

No ano passado, a empresa brasileira enviou 20% de toda a sua produção de patos para a Arábia Saudita

O descredenciamento de 33 frigoríficos brasileiros  pela Arábia Saudita, no dia 22 de janeiro, incluiu na lista a única empresa habilitada a exportar patos ao país. A Villa Germania Alimentos, com sede no município de Indaial, em Santa Catarina, era responsável pela exportação de 100% da carne de pato consumida pela Arábia Saudita. “Recebemos a informação com muita surpresa, porque a missão árabe que esteve no Brasil no ano passado não visitou nossa empresa”, conta o diretor de operações da Villa Germania, Marcondes Aurélio Moser.

No ano passado, a empresa brasileira enviou 20% de toda a sua produção para a Arábia Saudita. Isso corresponde a mais de 1.100 toneladas de carne de pato. De acordo com Marcondes, o país árabe é o principal destino das exportações da empresa, cuja produção é de cerca de cinco mil toneladas dessa proteína por ano.

Marcondes afirma que o impacto da desabilitação deverá ser de 30% das vendas da Villa Germania. A empresa possui 300 funcionários e 50 famílias integradas, responsáveis pela criação das aves. Segundo o diretor de operações, apenas em março a empresa conseguirá reduzir o número de aves abatidas como resposta ao descredenciamento, uma vez que os volumes de janeiro foram processados e os animais que serão abatidos em fevereiro já estão no campo.

“Em março, estamos programando uma redução forte no alojamento e no abate para compensar esses três meses”, diz. A Villa Germania realiza toda a produção das aves, como ovos férteis e patos de um dia, que são terceirizados para as famílias integradas fazerem a criação.

Sem motivos

Na avaliação do diretor de operações da Villa Germania, o descredenciamento da empresa não teve motivos. “A missão árabe não visitou nossa empresa. Isso porque se faz um sorteio junto ao Ministério da Agricultura quando tem missão técnica sanitária como essa. Aqueles que não caem no sorteio, ficam habilitados. Apenas as empresas visitadas, que não estão de acordo, são desabilitadas”, explica Marcondes. Ele acredita que, devido ao fato do pato ter a mesma classificação (NCM) do frango, a Villa Germania acabou sendo incluída acidentalmente na lista de frigoríficos descredenciados.

A empresa agora tenta, junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que a situação seja revista pela autoridade sanitária da Arábia Saudita. “Nosso cliente lá (na Arábia Saudita) também está tentando reverter o descredenciamento, mostrando que pato não é frango”, conta Marcondes.

Em 2018, com as novas exigências da Arábia Saudita sobre o abate halal, Marcondes aponta que a empresa rapidamente atendeu às mudanças. “Nós nos adaptamos rapidamente, porque temos a Arábia Saudita como nosso principal mercado de exportação. Não temos nada que nos desabone”, afirma o diretor.

 

Redação AI
Deixe seu Recado