Eurotec
10-Jan-2020 09:48 - Atualizado em 10/01/2020 12:08
Disponible en español
TvGessulli

DESTAQUES - Influenza Aviária atinge países produtores e PSA impacta preços no Brasil

Um resumo das principais notícias da semana nos portais Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial

Surtos de Influenza Aviária de alta patogenicidade tem atingido países com produções avícolas importantes. São os casos de China, Polônia e Índia. No território chinês, o surto foi detectado em um grupo de 150 cisnes na região oeste de Xinjiang. O vírus identificado foi o H5N6 - considerado altamente patogênico pelos organismos de saúde. O caso levou ao abate sanitário de 15 animais doentes e outros 15 morreram em virtude da doença.

Já na Índia, o vírus que foi reportado em uma fazenda é do sorotipo H5N1 e matou 15.426 aves. Ainda não se sabe a origem do vírus e medidas de segurança estão sendo tomadas pelas autoridades do país.

Na Polônia o caso é mais grave e tem deixado o país em alerta. Isso porque houve três surtos confirmados em 31 de dezembro de 2019 em fazendas comerciais.  Mais de 42.000 perus estavam nesses locais. Já no último dia 3, um 4º surto foi relatado em uma fazenda com 65 mil galinhas poedeiras. A Polônia é o maior produtor de aves da União Europeia e quase metade da carne produzida é exportada.

Os produtores de aves de médio e pequeno porte de Las Lagunas, Moca, na República Dominicana também denunciaram que milhares de galinhas poedeiras e frangos de corte foram mortos, afetados pela influenza aviária, por isso exigem uma intervenção rápida do governo para evitar que a situação piore.

Outros destaques foram as análises sobre os preços de frangos e suínos no Brasil em 2019. Nas granjas paulistas a ave terminada teve um aumento médio de 17,3%, em valores nominais, frente a 2018. No atacado, em igual período, a valorização foi de 19,8%.

Em relação à carne suína, nas granjas de São Paulo, os preços recebidos pelos suinocultores ficaram em média 34,8% maiores em 2019 frente ao ano anterior. No atacado, em igual comparação, a alta foi de 35,2%. O principal responsável por isso foi o avanço das exportações brasileiras para a China, que sofre com o surto de Peste Suína Africana.

Na Colômbia, para apoiar os produtores e mitigar os efeitos negativos causados pelas variações climáticas que ocorrem no início do ano, como geadas recorrentes em departamentos como Boyacá e Cundinamarca e as altas temperaturas em outras regiões do país, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Andrés Valencia Pinzón, informou que serão realizados dias de normalização do portfólio com o Banco Agrário da Colômbia nos municípios afetados. Além disso, ele anunciou o lançamento de um programa de alimentação bovina, que inicialmente possui US$ 8 bilhões.

E as autoridades de Bali na Indonésia proibiram as companhias aéreas de doar alimentos para fazendas de suínos, como fizeram até agora, por medo de serem infectados pela peste suína africana. Lembrando que foi justamente assim que a PSA chegou ao Brasil em 1978.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado