Guia Gessulli
22-Nov-2019 09:11 - Atualizado em 22/11/2019 11:45
Disponible en español
TV Gessulli

DESTAQUES: Insumos em alta e crise na Bolívia

Um resumo das principais notícias da semana nos portais Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial 

Os principais insumos da Avicultura e Suinocultura tem registrado alta neste mês de novembro. No caso do milho o motivo é a demanda aquecida. Na última semana o indicador de Campinas chegou a R$ 44,09 a saca de 60kg, registrando alta de 2.68%. A saca de 60 kg da soja em grão voltou a ser negociada acima de R$ 90,00 no porto de Paranaguá (PR) na semana passada O impulso veio da retração de grande parte dos sojicultores – que, diante das incertezas quanto à safra 2019/20, prefere segurar o remanescente.

Na Bolívia as estradas bloqueadas por conta da crise no país não tem permitido a chegada dos insumos as granjas.  Todos os dias, em Cochabamba e Santa Cruz, morrem 155 mil frangos. Em muitas cidades carne de frango e ovos já estão falta.

E os preços do suíno vivo não param de subir. O preço do animal vivo chegou a R$ 5,98 o quilo no mercado independente paulista, nesta semana, de acordo com APCS. O preço do animal vivo em São Paulo era de R$ 5,49 no dia 8 de novembro, data do último levantamento. Nesse sentido, a valorização foi de 8,93%. Depois de São Paulo, os valores do animal vendido vivo são maiores em Minas Gerais e em Goiás. Nestes casos, o quilo está custando R$ 5,60. Nos estados do Sul, que são os principais produtores e exportadores do país, o suíno vendido vivo ultrapassou a barreira dos R$ 5 somente nos últimos dias. No Paraná, o quilo do animal vivo é o maior, chegando a R$ 5,30. Uma valorização de 20 centavos desde o começo de novembro.

E a Polônia registrou neste semana um caso PSA m um javali a cerca de 100 km da fronteira alemã, O novo caso fica a mais de 300 km de distância das áreas onde a doença foi registada.

E nesta semana a Argentina realizou seu primeiro embarque de carne Suína para a China. O Ministério da Agricultura informou que o primeiro carregamento foi de 26 toneladas de presunto e paleta suína refrigerada. A abertura do mercado chinês para esse produto de carne ocorreu em abril passado, quando foi anunciado pelo presidente Mauricio Macri

Já no Brasil, as exportações de carne suína já somam US$ 58,8 milhões. O preço pago por tonelada embarcada está em US$ 2386,65, 0,9% maior que o valor pago em outubro e 28,9% maior que o valor pago no mês de novembro de 2018.

Já no caso da carne de frango na parcial de novembro as exportações de carne de frango in natura somam US$ 207,5 milhões. O preço pago por tonelada embarcada está em US$ 1587,57, 0,1% menor que o valor pago em outubro e 1,3% maior que o valor pago no mês de novembro de 2018.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado