Guia Gessulli
08-Fev-2019 10:04 - Atualizado em 08/02/2019 10:16
TvGessulli

DESTAQUES - O otimismo atingiu o agronegócio brasileiro

Os portais da Avicultura Industrial e da Suinocultura Industrial resumem semanalmente as principais notícias do agronegócio brasileiro

 

O otimismo atingiu toda a cadeia do agronegócio no 4º trimestre de 2018. Desde o início da série que mede a confiança do agronegócio brasileiro (IC Agro), medido pela Fiesp e a OCB, pela primeira vez o otimismo é recorde em todos os elos da cadeia – agricultores, pecuaristas e indústrias antes e depois da porteira. O IC Agro encerrou o 4º trimestre de 2018 marcando 115,8 pontos – alta de 15,4 pontos sobre o 3º trimestre.

E o otimismo também se reflete nos números. O Valor Bruto da Produção (VBP) do setor agropecuário, que mede o faturamento da atividade “dentro da porteira”, fechou 2018 em R$ 600,3 bilhões, crescimento de 3,1% em relação a 2017, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A carne bovina apresentou crescimento de 2,5% por conta do aumento da produção e a carne de frango cresceu 2,1% por conta dos preços. Ovos e Suínos apresentaram retração no faturamento de 12,1% e 15,7%, respectivamente.

Ainda na esteira dos dados positivos, as cooperativas paranaenses C Vale e a Copacol registraram aumento no faturamento de 2018. Os números foram divulgados pelas duas cooperativas na última semana. A C Vale apontou que conseguiu crescer 23% no ano passado, impulsionada pela valorização da soja e do milho. O faturamento da cooperativa foi superior a R$ 8,5 bilhões, com sobras de R$ 100 milhões. Já a Copacol apresentou crescimento de 11%, que resultou em um faturamento de R$ 3,841 bilhões e sobras de R$ 53 milhões.

Já a BRF anunciou na manhã de quinta-feira (07/02) que celebrou com a Tyson International Holding a venda de 100% das ações detidas pela companhia em sociedades localizadas na Europa e Tailândia, que desenvolvem atividades de processamento de alimentos e abate de aves. A venda das operações chegou à soma de US$ 340 milhões.

O governo federal anunciou uma força-tarefa para o escoamento da safra 2018/2019 nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O foco da ação está na BR-163/PA, uma das principais rotas de escoamento da produção de grãos no país até os portos do Arco Norte. A chamada Operação Radar segue até maio de 2019. Além da força-tarefa, o atual governo promete renovar concessões e realizar leilões de ferrovias, como a Ferrogrão e a Norte-Sul.

Na suinocultura, por outro lado, a expectativa de bons números com mais exportações para Rússia e China ainda não se concretizou. Nos principais estados produtores do país, houve queda no preço do suíno vivo, aponta a Bolsa de Suínos, divulgada pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS). Apenas na última semana, em Santa Catarina, o valor do quilo do suíno vivo passou de R$ 3,61 para R$ 3,32. A retração foi de 8%. Houve queda ainda em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e São Paulo. Outro ponto negativo foi a queda nas exportações da carne.

As exportações de carne suína in natura fecharam o mês de janeiro com a 41,7 mil toneladas embarcadas, movimentando US$ 84 milhões. Com 22 dias úteis a média diária ficou em 1,9 mil toneladas, uma queda de 20,4% em relação ao mês de dezembro. Já em relação com janeiro de 2018 a queda foi menor, ficando em 7,9%.

Já as exportações de frango embarcaram a 260,7 mil toneladas no mês de janeiro, movimentando  US$ 407,5 milhões. Com 22 dias úteis a média diária ficou em 11,8 mil toneladas, 27,4%  menor que o mês de dezembro e 14,8% menor que a média do mês de janeiro de 2018.

Ainda na avicultura, a semana passada Irã e Taiwan reportaram novos surtos de Gripe Aviária, de alta patogenicidade, em aves comerciais. Somente o Irã reportou quatro novos surtos com um total de 2400 aves mortas. De acordo com a Organização Veterinária do Irã, os surtos foram controlados e a situação resolvida. Já o Conselho de Agricultura de Taiwan reportou a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) dois novos surtos.

No mercado de rações, a pesquisa Alltech Global Feed Survey 2019, divulgada na última semana, estima que a produção mundial de rações apresentou aumento de 3%, alcançando 1.103 bilhão de toneladas em 2018 e superando novamente a marca de 1 bilhão de toneladas. A oitava edição da pesquisa, feita anualmente, inclui dados de 144 países e de quase 30 mil fábricas de rações. A indústria de rações registrou crescimento de 14,6% nos últimos cinco anos, o que equivale a uma média de 2,76% ao ano. O estudo revelou ainda que à medida que a população cresce, cresce também a classe média, refletindo em um aumento no consumo de proteína. Os oito principais países produtores respondem por 55% da produção. Brasil continua sendo o líder na América Latina e o terceiro globalmente

Evento

A 71ª edição da IPPE, mais conhecida no Brasil como Feira de Atlanta, ocorre entre os dias 12 e 14 de fevereiro, no Georgia World Congress Center, em Atlanta (EUA). A Gessulli Agribusiness, editora da Avicultura Industrial e da Suinocultura Industrial, está presente no evento pelo 36º ano consecutivo, onde inicia a divulgação internacional da AveSui Eurotier South America 2019. A IPPE é o mais tradicional evento do setor avícola mundial, que na última edição teve mais de 1.200 expositores e 31 mil visitantes.

 

Redação AI/SI
Deixe seu Recado