Eurotec
20-Mar-2020 10:11
Estatísticas

Em 2019 abate de frangos sobe 1,9%, primeira alta desde 2016

Produção de ovos cresceu 6,3% e chega a 3,8 bilhões de dúzias

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, foram abatidas 5,81 bilhões de cabeças de frango, aumento de 1,9% (+106,90 milhões de cabeças) em relação a 2018. Essa foi o primeiro crescimento na atividade após dois anos seguidos de queda.

Houve altas no abate em 15 das 25 UFs que participaram da pesquisa. Entre aquelas com participação acima de 1,0%, ocorreram aumentos no Paraná (+94,52 milhões cabeças), Santa Catarina (+52,34 milhões), Goiás (+15,00 milhões), Minas Gerais (+14,93 milhões), Bahia (+5,12 milhões), Mato Grosso (+4,24 milhões) e Pará (+2,62 milhões). Já as quedas ocorreram no Rio Grande do Sul (-39,15 milhões), São Paulo (-20,49 milhões), Distrito Federal (-15,08 milhões) e Mato Grosso do Sul (-11,15 milhões).

O Paraná continuou liderando amplamente na participação nacional, com 32,5%, seguido por Santa Catarina (14,1%) e Rio Grande do Sul (14,0%).

No 4º trimestre de 2019, foram abatidas 1,47 bilhão de cabeças de frangos, ficando estável (-0,1%) em relação ao trimestre imediatamente anterior e um aumento de 3,8% na comparação com o mesmo período de 2018. Numa comparação mensal, foi o melhor resultado para o mês de outubro da série histórica.

Ovos

A produção de ovos de galinha foi de 3,83 bilhões de dúzias em 2019, representando aumento de 6,3% em relação ao ano anterior. A série anual mostra que houve crescimento ininterrupto dessa atividade, um recorde da série histórica, iniciada em 1987.

O aumento de 226,92 milhões de dúzias de ovos veio de 21 das 26 UFs com granjas enquadradas no universo da pesquisa. Os aumentos mais expressivos ocorreram em São Paulo (+53,60 milhões de dúzias), Ceará (+30,37 milhões), Minas Gerais (+30,0 milhões), Paraná (+29,36 milhões), Espírito Santo (+20,26 milhões) e Mato Grosso (+18,24 milhões). Já a maior queda ocorreu no Rio Grande do Sul (-4,71 milhões), seguida pelo Distrito Federal (-2,43 milhões). As quedas em Alagoas, Rio Grande do Norte e Bahia, somadas não chegaram a cinco milhões de dúzias.

O estado de São Paulo seguiu liderando o ranking das UFs, com 29,0% da produção nacional, seguido, pelo segundo ano consecutivo, por Espírito Santo (9,4%). Minas Gerais (9,3%) e Paraná (9,1%) vem logo em seguida. A Região Sudeste foi responsável por quase metade da produção de ovos em 2019: originou 48,1% do total produzido.

Foram produzidas 985,69 milhões de dúzias de ovos de galinha no 4º trimestre de 2019, um aumento de 1,4% em relação à produção do 3º trimestre e 4,7% acima do 4º trimestre de 2018. A produção de ovos do 4º trimestre de 2019 foi a maior da série histórica.

Com o cruzamento de informações cadastrais das granjas, a partir dos dados apurados em 2019, verificou-se que mais da metade das granjas, 1.125 (55,1%), produziram ovos para o consumo, respondendo por 81,0% do total de ovos produzidos, enquanto 915 granjas (44,9%) produziram ovos para incubação, respondendo por 19,0% do total de ovos produzidos.
 

Redação AI
Deixe seu Recado