Banner AI - Cobb
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Balança Comercial

Embarques de frango registram leve queda na terceira semana de agosto

Redação com informações Mdic
23-Ago-2016 08:25 - Atualizado em 23/08/2016 08:36

Na terceira semana de agosto, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 541 milhões, resultante de exportações de US$ 3,557 bilhões e importações de US$ 3,016 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 118,081 bilhões e as importações, US$ 86,989 bilhões, com saldo positivo de US$ 31,092 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (22/08) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Já os embarques de produtos básicos registraram leve queda de 0,3%, devido a soja em grão, carne bovina e de frango, café em grão, milho em grão.

Na semana, as exortações tiveram média diária US$ 711,4 milhões, valor 10,4% abaixo da média de US$ 793,9 milhões, registrada até a segunda semana do mês. Nessa comparação foram observadas quedas nas exportações de semimanufaturados (-29,6%) – por conta de açúcar em bruto, celulose, ouro em forma semimanufaturada, ferro-ligas, couros e peles – as vendas externas de produtos básicos caíram 8,9% – devido a soja em grãos, petróleo em bruto, farelo de soja, carne de frango e bovina, minério de cobre – e os embarques de manufaturados caíram 5,2% – em  razão de automóveis de passageiros, aviões, açúcar refinado, polímeros plásticos, máquinas e aparelhos para terraplanagem, óxidos e hidróxidos de alumínio.

As importações na semana apresentaram desempenho médio diário de US$ 603,2 milhões, 7,4% acima do registrado até a segunda semana do mês (US$ 561,7 milhões). A alta é explicada, principalmente, pelo aumento nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos elétricos e eletrônicos, veículos automóveis, plásticos e obras e farmacêuticos.

Mês

No mês, as exportações somam US$ 11,496 bilhões e as importações, US$ 8,634 bilhões, com saldo positivo de US$ 2,862 bilhões.

Até a terceira semana de agosto, as exportações registram média diária de US$ 766,4 milhões. Em relação a agosto do ano passado, quando a média foi de US$ 737,4 milhões, houve avanço de 3,9%. Nessa comparação, cresceram as exportações de semimanufaturados (9,7%) – puxadas por açúcar em bruto, ouro em forma semimanufaturada, alumínio em bruto, madeira serrada ou fendida, ferro fundido e ferro-ligas – e de produtos manufaturados (7,3%) – por conta de veículos de carga, açúcar refinado, máquinas e aparelhos para terraplanagem, aviões e motores e geradores elétricos. 

Em relação a julho deste ano, quando a média diária das exportações chegou a US$ 777,6 milhões houve queda de 1,4%, por conta de produtos manufaturados (-8%) e semimanufaturados (0,7%). Enquanto cresceram as exportações de produtos básicos (3,8%).

Na comparação com julho de 2016, as importações cresceram 2,8%, pelo aumento em adubos e fertilizantes (+54%), produtos farmacêuticos (+19,9%), equipamentos eletroeletrônicos (+14,2%), produtos plásticos (+6,8%) e combustíveis e lubrificantes (+6,2%).

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade