Guia Gessulli
08-Nov-2018 08:43
Agroindústria

Famato e CNA articulam reunião entre avicultores e BRF

O encontro aconteceu no Sindicato Rural de Campo Verde e reuniu avicultores, representantes da BRF, técnicos da Famato e da CNA

Avicultores do município de Campo Verde estão desde junho deste ano sem produzir. A BRF, principal empresa do  setor no país, encerrou suas atividades avícolas na região desfavorecendo cerca de 280 aviários que atendiam a empresa. Para melhorar a comunicação e a negociação entre os avicultores e a BRF, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) articularam esta semana uma reunião com o grupo.

O encontro aconteceu no Sindicato Rural de Campo Verde e reuniu avicultores, representantes da BRF, técnicos da Famato e da CNA.  A reunião resultou em um compromisso firmado pela BRF com os representantes dos avicultores permitindo a utilização por tempo determinado do abatedouro de Várzea Grande, caso a empresa venda a estrutura instalada em Campo Verde.

Na avaliação da assessora técnica da CNA, Ana Ligia Lenat, a situação dos produtores rurais de Campo Verde é sensível e precisará da representatividade do Sindicato Rural de Campo Verde, da Famato e da CNA para intermediar um canal de negociação. "Os avicultores de Campo Verde estão sem produção, sem alojar frangos há aproximadamente seis meses. A situação é delicada", alertou Ana Ligia.

A última conversa com a BRF e os avicultores de Campo Verde foi em junho deste ano, quando a empresa se comprometeu em repassar uma quantia financeira para cada avicultor por um período de seis meses. Porém, o prazo está acabando e o futuro dos avicultores ainda é incerto.

 "Essa reunião foi uma iniciativa da ACAV, com o apoio da Famato e CNA, renova nossas esperanças. Esse anúncio da BRF registrado em ata, de que vai ceder o abatedouro de Várzea Grande, reconstrói nossas expectativas para que surjam novos parceiros", afirmou o residente da Associação Campoverdense de  Avicultura (ACAV), Clodoaldo Gomes.

Segundo Gomes, os avicultores integrados à BRF somam um ativo de aproximadamente R$ 150 milhões. "Isso significa que somos parte importante no negócio e necessitamos de mais transparência sobre as negociações. Essa reunião demonstrou que conseguimos abrir um canal de comunicação com a empresa", acrescentou.

A reunião foi o primeiro passo para mostrar ao produtor quais são as expectativas da BRF e as estratégias para a planta de Várzea Grande. A BRF informou que está aberta a compradores e pode, inclusive, disponibilizar por umtempo a planta Várzea Grande como uma forma de viabilizar o negócio até que uma nova indústria seja construída. A iniciativa visa manter os avicultores na atividade.

Conforme a assessora técnica da CNA, depois do advento da Lei de Integração n 3.288/2016 há uma necessidade crescente de transparência na negociação com a indústria. "E toda vez que o produtor sentir que não está sendo representado, que não está conseguindo essa contrapartida, a orientação é que ele procure o sindicato, a Famato e a CNA. Juntos, vamos  articular reuniões como essa visando melhorar as formas de negociação", orientou.

O analista de pecuária da Famato, Marcos Carvalho, destacou a importância da representatividade das entidades para equilibrar e promover a comunicação entre os produtores e a agroindústria. "A Famato é a entidade que representaos produtores rurais de Mato Grosso. Unir as forças da entidade, junto com a CNA e os sindicatos rurais permite melhorar esse equilíbrio de forças entre asinstituições e as indústrias. Assim, as negociações se tornam mais favoráveis e transparentes", apontou. As informações partem da assessoria de imprensa da Famato.

Redação AI/SI
Deixe seu Recado