Alltech
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Abate

França proíbe abate de pintinhos machos a partir de 2022

País proibirá a partir do próximo ano o abate de pintinhos machos por esmagamento ou gaseamento

Redação com informações de Reuters
20-Jul-2021 09:10 - Atualizado em 20/07/2021 09:22

A França proibirá a partir do próximo ano o abate de pintinhos machos por esmagamento ou gaseamento, prática denunciada como bárbara por grupos de bem-estar animal, e pressionará por uma medida semelhante em nível europeu, disse o ministro da Agricultura. 

A cada ano, 50 milhões de pintos machos são abatidos dessa forma, disse Julien Denormandie em uma entrevista postada no site do diário Le Parisien. Apenas as fêmeas, futuras galinhas poedeiras, são mantidas vivas.

“A França é o primeiro país do mundo, junto com a Alemanha, a acabar com o esmagamento e gás de pintainhos machos”, acrescentou Denormandie.

Os dois países vão tentar convencer seus parceiros da União Europeia a proibir a prática em um conselho de ministros da Agricultura da UE na segunda-feira, disse ele.

A partir de 2022, os criadores na França precisarão se equipar com máquinas para detectar o sexo dos filhotes antes de eles chocarem.

“A dinâmica está bem encaminhada e, dados os pedidos já feitos, as máquinas serão instaladas para dois terços da produção na França até o final do primeiro trimestre de 2022”, acrescentou Denormandie.

A medida deve resultar em um custo extra de 1 euro por caixa de seis ovos, disse ele.

Para ajudar os criadores a comprar o equipamento, a França concederá subsídios no total de 10 milhões de euros (US $ 11,8 milhões).

A castração de leitões vivos também será proibida a partir do início de 2022, disse Denormandie.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade