Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Boas Práticas de Produção

Frigoríficos têm evolução em políticas de bem-estar animal

Empresas brasileiras sobem em ranking global de boas práticas

Redação
01-Abr-2021 13:24 - Atualizado em 01/04/2021 13:43

Os frigoríficos brasileiros avançaram no quesito bem-estar animal em 2020, segundo o Business Benchmark on Farm Animal Welfare (BBFAW), ranking que analisa as práticas das cadeias de produção de 150 empresas globais de alimentos. O levantamento, que está em sua nona edição, é produzido com apoio da Proteção Animal Mundial e da Compassion in World Farming.

O BBFAW classifica as empresas com notas que vão de 1 - dada às que têm as melhores políticas de bem-estar animal em sua cadeia de produção - a 6 - as de pior desempenho. Cinco frigoríficos brasileiros entraram no comparativo: Marfrig (que recebeu nota 2, a mais alta entre as representantes nacionais), BRF, JBS, Minerva (notas 3) e Aurora (nota 4).

Entre os quesitos avaliados pelo ranking estão práticas que vão da aplicação profilática de antibióticos em frangos à prevenção contra mutilações de rotina, como castração, corte dos dentes e da cauda.

Segundo o zootecnista e gerente de agropecuária sustentável da Proteção Animal Mundial, José Rodolfo Ciocca, essa foi a primeira vez, desde a primeira edição do ranking, em 2012, que as empresas da América Latina avançaram mais que as americanas, que estão entre as mais bem-avaliadas no levantamento. “Precisamos trabalhar com sistemas mais éticos e sustentáveis nas cadeias produtivas”, afirma.

Presente no ranking desde a primeira edição, a Marfrig passou do patamar 4 no ano passado para o 2 no novo relatório. Em nota, a empresa disse que o resultado só foi possível devido à implementação de melhorias e revisões de políticas internas, além da maior disponibilidade de informações de suas operações.

A empresa também disse que está “evitando” o confinamento de seus animais. “Aqui no Brasil existe o semiconfinamento, no qual os animais recebem suplementação durante a fase de engorda”, disse, em nota, o diretor de sustentabilidade e comunicação da Marfrig, Paulo Pianez.

A Minerva também subiu dois degraus em relação ao ano passado, quando teve nota 5. Em nota, a empresa informou que implementou a ferramenta “Trajeto do Boi” para garantir a conformidade das instalações - o bem-estar animal em transportes é outro dos quesitos avaliados no BBFAW.

A JBS repetiu a classificação 3 que havia obtido no ano passado. A companhia destacou, em nota, que só no ano passado, investiu R$ 162,8 milhões em avanços de bem-estar animal no Brasil e treinou mais de 27 mil pessoas sobre o tema.

“Outro ponto de destaque é a evolução da Seara em seu compromisso com o uso de gaiolas de gestação coletiva para matrizes suínas, que proporcionam mais conforto quando comparadas às baias individuais. O objetivo da empresa é atingir 100% da produção nesse sistema até 2025”, disse a JBS.

A BRF também seguiu com a nota de 2020. Entre suas ações, a empresa disse ter atingido 100% de sua meta de eliminação do corte ou desgaste de dentes dos suínos e que, para 2022, fará a castração cirúrgica somente em casos necessário e com o uso de analgésicos e anestésicos.

Com nota 4, a Aurora passou a ser a de pior classificação entre as brasileiras. No BBFAW de 2021, a central cooperativa catarinense foi convidada a esclarecer e evitar algumas práticas, como reduzir ou evitar o uso rotineiro de antibióticos.

Em nota, a Aurora disse que adota práticas de melhoramento genético em relação ao uso rotineiro de antibióticos. A central informou também que passou a adotar a imunocastração - técnica não-cirúrgica - em larga escala. Agora, a prática é utilizada em toda a sua criação de suínos.

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade