Roleste
27-Fev-2019 13:58 - Atualizado em 12/03/2019 11:00
Resolução

Governo de São Paulo libera vacinação contra a Laringotraqueíte Infecciosa em todo o estado

Para os municípios do Bolsão de Bastos e de Guatapará, a norma obriga a utilização da vacina recombinante.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, liberou a utilização de vacina recombinante que previne a Laringotraqueíte para todo o estado. Outra medida anunciada foi a revogação das resoluções restritivas ao trânsito desses animais no “Bolsão de Bastos” e no município de Guatapará.

A nova norma, além de permitir o uso de vacina recombinante nas aves, determina que caso estas vacinas sejam utilizadas pelos produtores ou empresas, as Guias de Trânsito Animal (GTA) devem obrigatoriamente informar o uso da vacina. Ao mesmo tempo, a resolução libera de restrição o trânsito das aves vacinadas, qualquer que seja sua finalidade, assim como de seus produtos e subprodutos.

Já com relação aos municípios do Bolsão de Bastos e de Guatapará, a norma obriga a utilização de vacina recombinante contra a LTI. O Bolsão de Bastos, constituído pelos municípios de Arco-Íris, Bastos, Herculândia, Iacri, Inúbia Paulista, João Ramalho, Lucélia, Osvaldo Cruz, Parapuã, Pracinha, Queiroz, Rancharia, Rinópolis, Sagres, Salmourão e Tupã, juntamente com o município de Guatapará, compõe uma área de proteção especial instituída pelo Estado de São Paulo como medida de combate e erradicação da doença, logo após a ocorrência de surtos de LTI, em 2002 e 2009. É importante ressaltar que se o produtor ou empresa optar por realizar duas ou mais vacinações com a vacina recombinante, o programa vacinal deverá contemplar vacinas recombinantes que possuam diferentes vetores.

Outro ponto determinado pela resolução é que na eventual ocorrência de surto de LTI com comprovada circulação viral, situação em que a vacina viva passa a ser indicada, o produtor ou a empresa deverá elaborar e submeter uma solicitação de sua utilização à análise da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio de sua defesa agropecuária, e à análise do Comitê Estadual de Sanidade Avícola (Coesa), para que então seja possível a aprovação, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de um “Plano de Uso de Controle da Vacina Viva TCO para LTI” que considere a situação epidemiológica do caso em questão.

O Estado de São Paulo é o maior produtor de ovos do Brasil, com cerca de 35% da produção brasileira e também um dos maiores produtores de carne de frango, com cerca de 13% do País. O estado contribui ainda para que o Brasil seja o segundo maior produtor e o primeiro maior exportador mundial de carne de frango, e atenda a quase 40% da demanda mundial. Dados do Instituto de Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura e Abastecimento mostram que, em 2018, o valor de produção paulista de carne de frango alcançou R$ 3,97 bilhões e o de ovos atingiu R$ 2,92 bilhões, um valor já expressivo, mas com grande potencial de crescimento. 

Você confere a legislação na íntegra clicando aqui

Caroline Mendes/Redação AI
Deixe seu Recado