Alltech AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Sustentabilidade

Grandes empresas pedem protagonismo do Brasil na agenda ambiental

Com discurso unificado na iniciativa privada, grupo quer manter comunicação com o governo e cobrar metas mais ambiciosas

Redação com informações de Jovem Pan
28-Set-2021 15:56

Os empresários brasileiros querem mostrar que estão atentos para a necessidade de produzir preservando o meio ambiente. Mais de 60 representantes de grandes empresas assinaram um documento, se comprometendo a combater a emissão dos gases do efeito estufa e as mudanças climáticas. A expectativa do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável é de garantir o apoio de pelo menos 100 grandes empresas do país e fechar um discurso unificado dentro da iniciativa privada. A presidente do Conselho, Marina Grossi, explica que o objetivo é cobrar do governo um maior protagonismo na questão e metas mais ambiciosas. Segundo ela, proteger a Amazônia é, definitivamente, um bom negócio. “O Brasil pode expandir pecuária em áreas degradadas, pode expandir a agricultura com maior produtividade. A gente tem conhecimento, tecnologia, a gente pode fazer isso. A gente não precisa , como outros países, comprometer certos territórios”, afirma.

Marina diz que é preciso focar na mensagem de proteger e preservar, uma vez que, segundo ela, é possível lucrar e proteger a floresta ao mesmo tempo. “Para atrair recursos, o fato de preservar e produzir é uma mensagem forte. Para atrair recursos, dizer que temos tecnologia, hoje, para chegar em 2050 com emissão líquida zero é uma mensagem forte também. Os países em geral falam: nós nos comprometemos, mas estamos vendo o que podemos desenvolver. A gente já tem leis, conhecimento e condições de fazer”, pontua. Ela ressalta que o Código Florestal é uma lei importante e amplamente discutida no Congresso Nacional. Para Marina, essa legislação foi o possível a se fazer na época em que foi criada para garantir a segurança jurídica. Ela defende o aperfeiçoamento das regras, mas não necessariamente aprovação de novas leis. O Conselho Empresarial quer também garantir encontros com ministros do governo. As negociações com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, terão que aguardar ela voltar do isolamento da Covid-19. Com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a reunião será no próximo dia 6 de outubro. O grupo também quer conversar o Ministério das Relações Exteriores.

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade