AveSui2021
21-Out-2002 10:57 - Atualizado em 20/04/2016 14:35

Granjas com margem de vendas no vermelho

Redação AI 21/10/2002 - Nascida em Portugal, há 73 anos, Margarida Conceição Fernandes Teixeira está no Brasil há 47 anos e ajudou a montar, em Hidrolândia, a Granja Nossa Senhora Aparecida ou Gransapa Ovos Ltda há 34 anos. Nas últimas semanas, a granja foi obrigada a se desfazer de 20% de seu plantel de 150 mil poedeiras, colocando no mercado 30 mil aves a um preço médio de R$ 0,30 por animal. A judiação, diz Margarida, é que, em média, gasta-se R$ 4,50 apenas para formar uma boa poedeira.

Só nesta operação, a perda pode ter chegado a R$ 126 mil, tomando-se os valores médios informados pela empresária. `E vamos ter que vender mais 20% do plantel, porque não há milho para alimentar as aves`, queixa-se Margarida. A produção de ovos, que era de 350 caixas de 30 dúzias por dia até o início do segundo semestre, foi cortada para 280 e deverá baixar para 250 caixas, quase 30% a menos.

Posto na granja, quando há, o milho chega a R$ 23, a preços de hoje. O grão responde por 65% do custo final dos ovos e subiu, no caso da Gransapa, cerca de 119% desde julho, quando Margarida pagou em torno de R$ 10,50 por saca. A tonelada do farelo de soja aumentou 31,2% em dois meses, de R$ 480 para R$ 630, ao sabor da escalada do dólar. Os preços de venda da caixa de ovos subiram cerca de 27% desde setembro, saindo de R$ 26 para R$ 33, mas ainda não cobrem os custos.

Na ponta do lápis, diz ela, a granja gasta R$ 39 para produzir uma caixa de ovos, quase 22% acima dos R$ 32 computados no mês passado. A margem de venda, neste caso, permanece no vermelho, já o preço de venda está pouco mais de 15% abaixo do custo. A granja demitiu 10 de seus 70 funcionários nos últimos dias. `O setor de corte enfrenta o mesmo problema, já que os preços do quilo do frango vivo variam entre R$ 1,20 a R$ 1,30 diante de um custo ao redor de R$ 1,35 a R$ 1,38`, acrescenta.

Aumento da mistura

Em Inhumas, a Granja Santo Antônio enfrenta os mesmos problemas. O plantel de 160 mil aves poedeiras foi reduzido para 130 mil e a produção de ovos baixou de 350 para 300 caixas diárias. Para `esticar` os estoques de milho, a granja aumentou a mistura de sorgo e farelo de girassol na ração e espera ter uma `sobrevida` até dezembro, quando a nova safra de milho começa a entrar no mercado. `Mas nem o sorgo estamos encontrando mais no mercado`, diz o gerente comercial da empresa, Amarílio Miguel Teixeira.

Para complicar, aponta Teixeira, o calor aumentou a taxa de mortalidade do plantel de 1% a 2% para 6% ao mês, o que significa custos ainda mais altos. Empurrado pelo dólar caro, o preço da embalagem vazia de papelão, utilizada para embalar os ovos, saltou de R$ 1,02 para R$ 1,70, num aumento de 67% em dois meses, acrescenta o gerente.

Gazeta Mercantil/Centro Oeste
Deixe seu Recado