04-Abr-2018 15:04
Comentário

Impacto do controle de matérias primas sobre o desempenho zootécnico - por Javer A. Vieira

por Javer Alves Vieira Filho, especialista em Nutrição de Aves – Vaccinar Nutrição e Saúde Animal

Entre os sistemas de criação animal, a nutrição é um dos aspectos que mais impactam a composição dos custos de produção, por isso, as empresas de nutrição aplicam esforços e recursos no desenvolvimento de novas tecnologias que garantam o maior aproveitamento dos nutrientes.

Nesse contexto, enzimas, ácidos orgânicos, emulsificantes são exemplos bastante difundidos. Enfim, há uma série de opções ao alcance de nutricionistas, técnicos e produtores para garantir o aporte mais ajustado de nutrientes.

Todas essas ferramentas nutricionais e tecnológicas agregam muito para a eficiência produtiva, porém, muitas vezes alternativas simples, que podem trazer grande retorno à qualidade de dietas, são esquecidas. É o caso do armazenamento, controle e padronização das matérias-primas adotadas na propriedade.

O monitoramento das matérias-primas, aliado à caracterização e ranqueamento de fornecedores, traz benefícios enormes no que se refere à economia e ajustes nutricionais, permitindo que as dietas sejam ajustadas considerando o que o produtor realmente tem dentro de sua fábrica.

,
.
Possuir um banco de dados com os níveis nutricionais das matérias-primas, fornecedores, presença e níveis de fatores antinutricionais permite o balanceamento mais ajustado das dietas, prevenção de erros e tomadas de decisões mais precisas. Para isso, os produtores podem utilizar dos serviços laboratoriais que são parte do portfólio de soluções oferecidos pelas empresas parceiras.

Realizar esse monitoramento é fundamental, porque as principais matérias-primas utilizadas para a composição das dietas apresentam uma variação considerável no seu conteúdo bromatológico. Por exemplo, é possível obter no mercado farinhas de carne com níveis de proteína bruta variando de 40% a 55%, farelos de soja com valores de proteína bruta de 45% a 48%. Dessa forma, essa variação pode interferir sensivelmente na composição e custos com formulação.

Além dos pontos citados, o monitoramento dos ingredientes das fábricas permite a detecção de níveis de fatores antinutricionais, antes que os ingredientes sejam utilizados. Sabemos que clima, processamento e armazenamento são fatores que interferem diretamente na qualidade da matéria-prima, favorecendo ou dificultando a presença de micotoxinas.

Esses compostos são metabólitos secundários do metabolismo fúngico que ocasionam perda do valor nutricional e queda no desempenho produtivo dos animais, comprometendo diversos sistemas orgânicos. O grau do prejuízo irá depender do tipo de micotoxina e dosagem. Por exemplo, planteis de poedeiras podem apresentar redução de até 10% na taxa de postura, quando alimentadas com milhos contaminados com fumoninsina.

Assim, é possível dizer que o gerenciamento das matérias-primas é importante por permitir tomadas de decisões mais precisas, além de possibilitar ajustes nutricionais em função de cada realidade produtiva. A melhor parte de tudo isso é que essa rotina envolve pouco investimento financeiro e pode trazer ganhos significativos para planteis avícolas.   

Redação

Javer Alves Vieira Filho

Javer Alves Vieira Filho é Zootecnista e Especialista em Nutrição de Aves na Vaccinar - Indústria de Nutrição e Saúde Animal

Deixe seu Recado