AveSui2021
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Indústria argentina inaugura usina bioelétrica alimentada com dejetos de suínos e frangos

Alimentada com efluentes suínos, cama de frango e silos de milho ou sorgo, essa usina vai despejar 1MW na rede elétrica

El Economista, com tradução da Redação AI/SI
12-Jan-2021 11:38

Uma usina bioelétrica que fornecerá 1 MW (megawatt) para a rede elétrica foi inaugurada na cidade de General Alvear, em Buenos Aires. O estabelecimento pertence ao grupo empresarial Riccillo, que há 30 anos trabalha com o objetivo de produzir de forma sustentável e agregar valor a cada elo da cadeia, informou oficialmente hoje.

“É uma grande alegria ver que este projeto é uma realidade hoje, que é algo concreto. Essa ideia que estamos vendo aqui hoje não é nem mais nem menos que a possibilidade de muitos empregos no General Alvear, de gerar valor agregado, de fechar um ciclo produtivo”, expressou o ministro do Desenvolvimento Agrário de Buenos Aires, Javier Rodríguez .

Alimentada com efluentes suínos, cama de frango e silos de milho ou sorgo, essa usina vai despejar 1MW na rede elétrica, e, no futuro, o objetivo é construir uma segunda usina bioelétrica, de 2 MW, e começar a transformar o biogás em biofertilizante.

Esteve também presente na inauguração o Ministro da Produção, Ciência e Inovação Tecnológica de Buenos Aires, Augusto Costa, que afirmou que se trata de “um novo empreendimento produtivo na província de Buenos Aires, em General Alvear, que vem encerrar o ciclo produtivo da produção de suínos e aves, transformando seus efluentes em energia elétrica ”

A área de influência produtiva do grupo é Saladillo e General Alvear, onde além da usina bioelétrica possui extensa produção bovina; agricultura; engorda para curral; serviço de hotelaria a terceiros (engordam 50.000 bois-ano); produção de suínos com duas granjas de 2.500 matrizes cada uma com ciclo completo; seis granjas avícolas para a produção de frangos de corte; e uma planta de esmagamento de soja.

A Riccillo começou na década de 90 com a produção de suínos, à qual se agregou posteriormente a de bovinos e frangos, além de três rações balanceadas abastecidas pelos 4.000 hectares de semeadura de soja, milho, cevada e sorgo com aqueles que contam.

A indústria também comercializa carne suína, principalmente no mercado interno, e participa de consórcio de exportação.

 

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade