Alltech AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Inovação

Inovação aberta do BRDE Labs gera novas soluções para empresas da região Sul

No Paraná, 177 startups se inscreverem no programa do BRDE em 2021 com foco na indústria. Exemplos concretos mostram que o programa facilita a inovação

Redação, com informação da AEN
21-Jan-2022 08:38

O programa do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) que une empresas e startups a fim de acelerar o desenvolvimento do Paraná teve como destaque na última edição um modelo de gestão que é tendência: a inovação aberta.

Cada ano, o programa tem um tema central que guia a escolha das empresas e, consequentemente, das startups. Em 2021, o foco foi a indústria do Paraná. As startups inscritas apresentaram propostas para nove empresas âncoras, que testaram as soluções dentro do próprio sistema. Até o momento, dois contratos foram assinados e sete estão em fase de negociação.

“O objetivo desse modelo é promover a colaboração com pessoas e organizações externas à empresa, expandindo os horizontes dos negócios, assim como propõe o BRDE Labs”, explicou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

A experiência do BRDE Labs foi um divisor de águas na história da Specrux. A startup da área de monitoramento e processamento de dados, incubada na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), trabalhou em conjunto com a empresa âncora Enaex, líder em produção de explosivos e serviços de fragmentação de rocha. Ambas apontam a valorização da inovação aberta como ponto forte do programa.

“Além de todas as mentorias que o programa nos forneceu gratuitamente, o contato com a Enaex foi um casamento perfeito: eles tinham problemas complexos, nós tínhamos vontade e técnica para resolvê-los”, conta Conrado Chiarello, cientista de dados da Specrux. 

O desafio proposto pela Enaex foi testar a tecnologia de monitoramento da Specrux do nível de explosivos em diversos tanques. “Temos mais de 50 tanques em que fazemos as inspeções manualmente, e com o BRDE Labs aprovamos uma tecnologia que torna possível acompanhar esses dados à distância. A tecnologia já está validada e agora a gente precisa estabilizar um projeto padrão para digitalizar todos os nossos tanques estacionários, é isso que estamos fazendo”, explica Antoine Moreau, líder de Inovação na Enaex Brasil.

Além disso, Antoine acredita que o BRDE cumpriu seu papel como apoiador da inovação no Paraná e no Brasil ao ter programas que unem empresas e startups, ajudam a identificar problemas e encontrar soluções e viabilizam financeiramente projetos inovadores.

“Nesse caso, empresas como BRDE são fundamentais. São agentes do ecossistema. Sem eles o País conseguiria rodar um conjunto muito menor de projetos estratégicos. A lógica do BRDE Labs é uma lógica vencedora”, conclui.

OUTRA EXPERIÊNCIA – O BRDE Labs também intensificou a expansão de uma startup de Porto Alegre, focada em soluções odontológicas. Criada há 2 anos, a Agidesk é especialista no gerenciamento de processos de Tecnologia da Informação, Recursos Humanos, Marketing, Manutenção, Jurídico e Financeiro. A partir do programa, a startup fechou negócio com a Ibema, indústria de papéis da região. 

“Fizemos a implantação do sistema inicialmente na área de TI e após apenas 2 semanas rodando a solução, fomos procurados por outras áreas de negócios que também tiveram o interesse no gerenciamento de processos e atendimentos nos seus departamentos”, conta Veridiana Caveiro, co-fundadora da Agidesk.

O programa permitiu ainda o aperfeiçoamento de processos já existentes na empresa, mas que passaram por um redesenho com a ajuda de experientes mentores que participaram do BRDE Labs. Por fim, a participação da startup também foi importante para ampliar a aproximação com outras empresas consolidadas do Paraná, que compõem o ecossistema de inovação do Estado.

LABS – Criado com o objetivo de acelerar o ambiente de inovação da Região Sul do Brasil, o BRDE Labs une empresas consolidadas a startups que possuem soluções inovadoras. Apenas em 2021, no Paraná, o programa teve 177 startups inscritas. Dezoito delas passaram pela fase de pré-aceleração e nove, pela de aceleração.  

O objetivo central do programa é estimular a inovação. Com isso, o BRDE Labs do Paraná também atuou na formação de profissionais. No último ano, foram 54 horas de treinamento, mais de 150 pessoas formadas e mais de 20 horas de conteúdos conduzidos por 27 palestrantes e transmitidos por lives que tiveram mais de 4 mil espectadores. Os participantes destacaram a mudança de paradigma que essa experiência em inovação aberta provocou para as empresas.

O BRDE Labs 2021 foi desenvolvido em parceria com a Hotmilk, aceleradora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Trabalhar com ideias embrionárias, que buscam solucionar problemas, necessidades e desejos das pessoas e de outras empresas é o foco de uma aceleradora. 

Governo conhece tecnologia com DNA paranaense que esteriliza ambientes de bactérias e vírus
“Empresas que trabalham com aceleração de startups têm uma importância gigante para inovação, não apenas no Paraná, mas em todo o território nacional e arrisco dizer, que também em todo o planeta. É através da empresa aceleradora que empreendedores buscam parceria para validar e desenvolver seus negócios. Contando com um ecossistema repleto de diversidade e apoio, as empresas aceleradoras são verdadeiros motores de inovação”, sintetiza João Paulo Moreira, head de Open Innovation da Hotmilk. 

No programa do BRDE, a empresa foi responsável por formar os profissionais através das lives e mentorias e aproximar as startups das grandes empresas participantes do programa para solucionar os desafios listados. Por outro lado, João Paulo destaca que a participação no BRDE Labs representou mais um degrau no caminho da empresa rumo à inovação aberta.

“Entre as vantagens dessa participação está a conexão entre as pessoas, novas empresas, startups. Cada movimento que fazemos de inovação aberta aumenta o nosso leque de transformação, que é o que queremos: levar cada vez mais transformação positiva através da inovação”, acredita. 

Em 2022, o tema será ESG - Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português).

Mais sobre BRDE Labs no site https://www.brdelabs.com.br/pr/.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade