Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Mercado

Insumos mais caros devem impactar também no preço do ovo

Ministra da Agricultura Tereza Cristina afirmou no último sábado que com o farelo de soja e o milho mais caros, o preço do ovo deverá subir

Redação AI
04-Mai-2021 08:22

A indústria do ovo vive uma fase histórica e isso não é de hoje. Entretanto, o cenário que deveria ser de comemoração é, na verdade, de preocupação, pois o preço desse tipo de alimento deve subir em breve, devido aos custos dos produtores com o farelo de soja e o milho.

Só para se ter uma ideia de quanto o setor está pressionado, em abril do ano passado, no Paraná, uma saca de milho era comprada por R$ 46. Um ano depois, essa mesma saca passou a custar R$ 98. São 110% de aumento, enquanto que no mesmo período, o preço do ovo subiu 19%.

A Ministra da Agricultura Tereza Cristina destacou que apesar das supersafras de soja e milho no ano passado, o Brasil está conectado com o mundo e o preço de mercado acaba sendo listado lá fora. E as notícias vindas até agora não são animadoras, pois os Estados Unidos, que só têm uma safra por ano, estão tendo problemas com o plantio devido ao clima. Dependendo de quanto isso afetará a produtividade dos grãos, maior será a pressão para elevação dos preços. Some-se a isso, as perspectivas de que os próprios americanos e também a China deverão aumentar o consumo com a retomada da economia pós-vacinação e o resultado será uma inevitável elevação no preço do ovo.

Os efeitos desse provável aumento serão sentidos por aqui, pois há décadas o consumo vem crescendo. Há vinte anos, cada brasileiro comia 94 unidades por ano. Dez anos atrás, esse número saltou para 148 unidades e atualmente, são 251 ovos por ano, uma média acima da mundial que é de 230 unidades.

Outro ponto que pode pressionar ainda mais por uma elevação no preço do ovo será o resultado da supersafra deste ano. Ainda não é possível prever se haverá percas devido ao clima, porém o que já se sabe é que nesse período atual está chovendo menos do que de costume em algumas áreas do Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Assuntos do Momento

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade