Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Negociação

JBS de olho em produtos processados da americana Conagra

Conversas, que estão em fase inicial, incluem a marca de cachorro-quente Hebrew National, a de salsichas Odom’s Tennessee Pride e a de clara de ovo líquida Egg Beaters

Valor
11-Mar-2021 11:15

A americana Conagra Brands está em negociações para vender sua marca de cachorro-quente Hebrew National à brasileira JBS, informou o “The Wall Street Journal” citando fontes a par do assunto. Um acordo, que também pode incluir a marca de clara de ovo líquida Egg Beaters e a marca de salsichas Odom’s Tennessee Pride, pode chegar a cerca de US$ 700 milhões, de acordo com as fontes.

Segundo o jornal, qualquer acordo, entretanto, provavelmente levará semanas para ser concluído e a Conagra ainda poderá decidir continuar com as marcas ou optar por vendê-las a outra empresa. Em abril de 2019, a Conagra divulgou que as vendas da Hebrew National no ano fiscal anterior foram de US$ 170 milhões, e as do Egg Beaters, de US$ 78 milhões.

A popularidade do cachorro-quente kosher Hebrew National, porém, transcende o tamanho da marca, em parte graças ao seu slogan de longa data: “Respondemos a uma autoridade superior”. A Conagra, que tem um valor de mercado de US$ 17,6 bilhões, está reformulando seu portfólio para impulsionar suas marcas de alimentos congelados e lanches, como Healthy Choice e Slim Jim, de beef jerky.

Para a JBS, uma das maiores processadora de carne bovina dos Estados Unidos, a compra expandiria o alcance para produtos de varejo em um momento em que os consumidores mudaram suas preferências de compra de alimentos para os supermercados, por causa da pandemia.

Procurada, a companhia preferiu não comentar, mas o Valor apurou que as conversas sequer chegaram a seu conselho de administração, o que indica que o estágio pode ser apenas inicial. De toda forma, a compra dos produtos citados nos Estados Unidos está em linha com a estratégia da empresa brasileira de crescer em valor agregado e contar, em cinco anos, com pelo menos dez marcas com faturamento superior a US$ 1 bilhão por ano.

A JBS tem um valor de mercado de mais de US$ 12 bilhões e obtém a maior parte de sua receita de mais de R$ 200 bilhões nos EUA, onde seus negócios incluem a empresa de processamento de carne bovina e suína Swift e a Pilgrim's Pride, segunda maior indústria de frango do país.

Caso a JBS feche o negócio, expandirá seu portfólio de marcas de consumo. Produtos como esses da Conagra, de maior valor agregado, tendem a gerar lucros maiores que a carne a vendida para restaurantes e varejo.

Em fevereiro de 2020, a JBS anunciou, nos EUA, um acordo de US$ 238 milhões para comprar a Empire Packing, que atua no varejo de carne com a marca Ledbetter.

Os produtos kosher da Hebrew National foram vendidos pela primeira vez na cidade de Nova York em 1905, e a Conagra adquiriu a empresa-mãe da marca em 1993. Nos EUA, ao longo das décadas os cachorros-quentes se tornaram um produto básico em estádios de beisebol e churrascos no quintal. No início de 2019, as vendas da marca estavam ligeiramente abaixo da média da categoria cachorro-quente, segundo o “The Wall Street Journal”.

 

Assuntos do Momento

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade