Agroceres Multimix
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Carne cultivada

JBS entra no mercado de proteína cultivada, com aquisição de empresa espanhola

Empresa diz que a tecnologia 'tem potencial não apenas para a produção de proteína bovina, mas também para a de frangos, suínos e pescados'.

Redação com informações de O Globo
18-Nov-2021 08:24 - Atualizado em 19/11/2021 11:01

A JBS anunciou nesta quarta-feira que fechou um acordo para aquisição do controle da empresa espanhola BioTech Foods e que vai ingressar no mercado da proteína cultivada - carne feita a partir de células animais e não da pecuária.

A operação inclui o investimento de US$ 41 milhões na construção de uma nova unidade fabril na Espanha para dar escala à produção e a implantação do primeiro Centro de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) em Biotecnologia de Alimentos e de Proteína no Brasil.

Em comunicado ao mercado, a JBS informou que a consumação do negócio está sujeita à confirmação da autoridade de investimento estrangeiro na Espanha, dentre outras condições usuais a este tipo de operação.

Segundo a empresa, com o investimento no Centro de Pesquisa em Proteína Cultivada no Brasil, previsto para ser inaugurado em 2022, a JBS pretende desenvolver novas técnicas que acelerem os ganhos de escala e reduzam os custos de produção da proteína cultivada, antecipando sua comercialização no mercado.

No total, a JBS destinará US$100 milhões às duas iniciativas, que "estão em linha com a estratégia da Companhia de ampliar a sua plataforma de novas formas de produção de proteína, como reflexo das novas tendências de consumo e do crescimento populacional esperado nas próximas décadas".

Segundo a JBS, a proteína cultivada vai chegar às prateleiras em forma de hambúrgueres, embutidos e almôndegas, por exemplo. A empresa diz que a tecnologia "tem potencial não apenas para a produção de proteína bovina, mas também para a de frangos, suínos e pescados".

A BioTech Foods trabalha com o desenvolvimento de biotecnologia para a produção de proteína cultivada, contando com o apoio do governo espanhol e da União Europeia. A empresa opera uma planta-piloto na cidade espanhola de San Sebastián,  e deve produzir para o mercado de fato apenas em 2024, de acordo com a JBS.

O aporte faz com que o frigorífico se torne o acionista majoritário da BioTech Foods.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade