Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Economia

Katayama Alimentos investirá R$ 15 milhões em 2021

A indústria avícola teve incremento de 40% em seu faturamento de 2020 e anuncia para este ano um aumento do plantel de aves e aposta nas exportações para Ásia e Oriente Médio

Assessoria de Imprensa Katayama
26-Fev-2021 10:31 - Atualizado em 26/02/2021 10:42

Com um aumento de 25% no volume de produção e de 40% no faturamento de 2020, os resultados da Katayama Alimentos, umas das principais indústrias avícolas do País, ilustram o bom desempenho do mercado de ovos em 2020. De acordo com dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), no ano passado o consumo per capita de ovos atingiu a marca de 250 unidades por habitante/ano – crescimento de 8,5% sobre 2019. A produção nacional bateu recorde, com cerca de 54 bilhões de unidades (em 2019 foram 49 bilhões).

Com uma trajetória de quase 80 anos, a Katayama Alimentos, localizada em Guararapes (SP), tem registrado um gráfico ascendente em sua produção de ovos, totalmente livres de antibióticos. No acumulado de 2016 a 2020, o crescimento foi de 78%.

De acordo com Gilson Katayama, diretor comercial do Grupo Katayama, a indústria fechou o ano passado com uma produção de 1 bilhão de ovos, gerados por um plantel de 4 milhões de galinhas entre recria e postura e mais 250 mil codornas. “Apesar do ano totalmente atípico, onde houve redução dos estoques, receio de desabastecimento e forte oscilação de preços, conseguimos completar nosso portfólio de produtos, fidelizar clientes e realizar muitas ações que nos trouxeram maior visibilidade perante o mercado. Isso possibilitou conquistar algumas contas estratégicas em 2020”.

 

Números otimistas para 2021

Diante da previsão de recuperação gradual da economia em 2021, alguns levantamentos do mercado apontam que o consumo de ovos, que têm preços mais baixos frente às demais proteínas de origem animal, deve se manter elevado. Na previsão da ABPA, a produção nacional deve aumentar 5% e o consumo per capita atingir 265 unidades/ano.

Na Katayama Alimentos os números projetados para este ano são ainda mais agressivos: 10% de incremento no plantel de aves de postura, ou seja, um acréscimo de 280 mil aves (entre galinha e codorna), com a construção de dois novos aviários e investimento de R$ 15 milhões. “Sendo assim, vamos aumentar em 15% nossa produção de ovos, que passará para 1,15 bilhão até o segundo semestre de 2022”, revela o executivo com muito otimismo.

Este ano também terá início a construção da primeira unidade de aves caipiras com capacidade produtiva para 120 mil animais (ou 100 mil ovos/dia). O aporte previsto para o novo espaço, que deverá ser finalizado ao final de 2021, será de R$ 10 milhões. Para este ano, o faturamento anual previsto da Katayama Alimentos representará um aumento de 30% comparado a 2020.

 

Perspectivas e novidades

Em 2022 a Katayama Alimentos iniciará a construção do novo núcleo de produção de ovos. O projeto chamado “Pé de Galinha” terá capacidade para 1 milhão de aves e produção anual de 320 milhões de ovos. O investimento previsto é de R$ 80 milhões, com cronograma de implantação para dois anos, mas com produção já iniciando no primeiro trimestre de 2023. Também em 2023 terá início a construção da segunda unidade de galinhas caipiras, com capacidade projetada para 360.000 aves.

Além dos ovos “in natura”, a Katayama Alimentos introduziu em seu portfólio os ovos pasteurizados, para atender uma alta demanda de mercado, principalmente da indústria alimentícia e do segmento de food service. A produção atual de ovos líquidos é de 350 ton/mês e dos ovos desidratados (em pó) é de 30 ton/mês. Em uma planta moderna, estes ovos são processados diariamente e conduzidos diretamente da unidade produtiva por esteiras transportadoras, garantindo um produto muito fresco e de alta qualidade.

 

Mercado externo

Continua sendo estratégia da Katayama Alimentos incrementar o comércio externo, diversificando seus canais de venda. Para isso, além da participação em feiras internacionais e de ações de marketing, a empresa fechou uma parceria com a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (InvestSP) para o estabelecimento de escritórios regionais no Oriente Médio, Ásia e África. A Certificação Halal, conquistada pela Katayama Alimentos, tanto para o ovo “in natura” como para o ovo industrializado, também é outro importante diferencial da empresa para acessar o mercado muçulmano. A meta atual é destinar 10% da produção à exportação, representando um faturamento da ordem de US$ 8 milhões por ano.

“Apresentamos vantagens frente aos países europeus e ao Japão, que estão passando por uma grave crise de gripe aviária. Nós temos um mercado bastante interessante do ponto de vista de segurança alimentar e potencial para atender esses países como fonte de originação de ovos. No caso da Katayama Alimentos, toda a nossa produção conta com o certificado ‘Ovos Livres de Antibióticos’”, explica o diretor comercial. No final do ano passado a indústria avícola fechou o primeiro contrato de exportação do ovo desidratado para o mercado de Bangladesh, no Sul da Ásia e, em janeiro deste ano, embarcou três contêineres com ovos “in natura” para os Emirados Árabes Unidos.

Assuntos do Momento

Mais assuntos do momento
Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade