Guia Gessulli
04-Abr-2019 12:26 - Atualizado em 04/04/2019 13:19
Resultado 2018

Languiru tem R$ 1,3 bi em faturamento, o maior da sua história

Resultado líquido é o segundo melhor em 63 anos, com crescimento de 16% em relação ao exercício anterior

A Languiru registrou um faturamento bruto de R$ 1,334 bilhão no ano de 2018. O montante representa crescimento de 8,6% no comparativo com o exercício anterior. Apesar do período de extrema dificuldade para a economia brasileira, os associados comemoram a distribuição de sobras e remuneração do capital, retorno que alcança R$ 6,9 milhões. O patrimônio líquido também atinge patamares históricos, chegando a R$ 193,8 milhões. O resultado líquido igualmente apresentou crescimento de 16%, chegando a R$ 20,5 milhões.

O balanço foi apresentado em Assembleia Geral Ordinária, na última semana, pelo presidente da cooperativa, Dirceu Bayer. Em clima de bastante otimismo, o processo ocorreu no Salão Social da Associação dos Funcionários da Languiru e reuniu cerca de 200 pessoas, entre associados, funcionários, autoridades e representantes de entidades parceiras.

Dificuldades nas carnes e bom desempenho no varejo

O diretor industrial e de fomento agropecuário, Fabiano Leonhardt, apresentou o demonstrativo do desempenho técnico para os setores de suínos, aves, leite e rações, além de ranking de representatividade produtiva por município.

O demonstrativo do desempenho econômico foi apresentado pelo diretor-administrativo Euclides Andrade e pela gerente-executiva de controladoria Carla Gregory. Destaque para a diversidade de negócios da cooperativa, valorizando o desempenho dos setores produtivos e a participação do varejo no faturamento bruto.

“No exercício de 2018 os supermercados, as lojas Agrocenter e os postos de combustíveis somaram cerca de 18% do faturamento bruto da cooperativa, o que comprova a importância desses negócios para o equilíbrio e sustentabilidade da Languiru”, apontou Andrade, mencionando o ano de extrema dificuldade para o setor de carnes (aves e suínos) e a importância da prestação de serviços para terceiros na Indústria de Laticínios. “Também é necessário valorizar o bom desempenho da venda de rações para clientes de todo Estado e a relação comercial entre Languiru e Claas na venda de máquinas e implementos agrícolas”, acrescentou.

Em crescimento

Andrade detalhou plano de atividades e orçamento para 2019. A previsão é de que o faturamento bruto chegue a R$ 1,5 bilhão, com incremento também projetado para o resultado líquido. “A Cooperativa Languiru estima crescimento próximo a 13%. É um novo desafio que temos pela frente, com investimentos que devem totalizar cerca de R$ 85,8 milhões. Desse montante, R$ 55 milhões serão aplicados no Frigorífico de Aves”, enumerou, citando ainda investimentos em novas unidades de supermercados, cursos de qualificação, assistência técnica e marketing.

Retorno aos associados

O retorno aos associados totalizou R$ 6,9 milhões, considerando a distribuição de sobras e a correção do capital social. “Com a Languiru crescendo, os associados precisam crescer juntos, esse é o verdadeiro sentido de uma cooperativa”, valorizou Bayer.

O presidente ainda elencou outros benefícios concedidos aos associados, em especial os voltados à área social, educacional e técnica, além de descontos em compras no varejo da cooperativa. “Se somarmos todos esses benefícios, o quadro social foi beneficiado com mais de R$ 10,3 milhões ao longo do último ano. Conseguimos colocar, juntos, a Languiru num novo patamar”, enumerou.

Eleição e posse do Conselho Fiscal

A comissão eleitoral conduziu o processo de eleição e posse dos membros do Conselho Fiscal, cuja renovação de dois terços ocorre anualmente. Com o registro de apenas uma chapa, a gestão 2019-2020 conta com os conselheiros efetivos Gilberto Valdir Brune, de Linha Clara, município de Teutônia; Merice Brummelhaus Strate, de Linha Boa Vista Fundos, município de Teutônia; e Claimar Domingos Kohl, de Linha Paissandu, município de Westfália. Os conselheiros fiscais suplentes são Ismael Dickel, de Linha Germano, município de Teutônia; Maikel Altmann, de Linha Clara Fundos, município de Teutônia; e Adriano Darci Klafke, de Linha São João do Bom Retiro, município de Estrela.

Novos negócios

Encerrando a programação, o presidente Dirceu Bayer abordou situações específicas para resgate da cota capital do associado e a remuneração desse montante; programa especial de bonificação para o incremento no volume mensal de produção de leite; ações do Programa de Inclusão Social e Produtiva no Campo; e atualização com relação ao transporte de óleo diesel às propriedades, gerando menor custo aos associados.

Uma das novidades anunciadas foi o ingresso da Languiru no segmento de farmácias a partir de contrato de locação do imóvel onde atualmente está instalada a Farmácia Dospital, pertencente ao Hospital Ouro Branco, de Teutônia. “É um ramo que se mostra bastante promissor e, dessa maneira, também estamos nos solidarizando ao hospital e trazendo mais um benefício aos associados, funcionários e comunidade. A partir dessa primeira experiência, existe a possibilidade de estendermos o negócio de farmácias para outras localidades onde já contamos com unidades de varejo da cooperativa”, finalizou Bayer.

 

 

Redação AI/SI
Deixe seu Recado