Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Meio Ambiente

Licenças de emissão de carbono batem recordes na Europa

A crise energética global e o foco nas emissões após a Cimeira do Clima da ONU em Glasgow acabaram por forçar um aumento no preço das licenças de emissões na Europa e Reino Unido.

Redação com informações de Eco
08-Dez-2021 15:21

Os preços das licenças de emissão de carbono estão a atingir valores nunca antes vistos. No Reino Unido, cada tonelada de carbono emitida estava a custar na semana passada 75 libras (acima dos 88 euros). Enquanto isso, na União Europeia, os preços atingiram recordes de 81 euros na segunda-feira.

Um valor 2,5 vezes acima dos 32 euros por tonelada que se registavam no início deste ano, de acordo com o Financial Times. A Bloomberg diz que o preço do carbono aumentou 140% só em 2021.

Os valores justificam-se com a escassez de gás na Europa para produzir energia elétrica e para a indústria, o que levou muito produtores a retornar ao carvão (uma fonte fóssil mais barata e mais poluentes), o que só por si aumentou o custo das licenças de emissão de carbono. No Reino Unido, os novos máximos desencadearam já um mecanismo de mercado que pode levar o governo britânico a intervir para reduzir os preços.

Os preços consistentemente altos desde setembro acionaram o “mecanismo de contenção de custos” do Reino Unido pela primeira vez, o que obriga os legisladores a considerar se devem intervir no mercado. O governo disse que anunciará se tomará medidas até 14 de dezembro.

O mecanismo de intervenção do governo britânico é acionado se as licenças forem negociadas a mais do que o dobro do preço médio dos dois anos anteriores por três meses consecutivos.

A crise energética global e o foco renovado nas emissões após a Cimeira do Clima da ONU em Glasgow também acabaram por forçar um aumento no preço das licenças emitidas nos sistemas de comércio de emissões da UE e do Reino Unido.

De acordo com estes sistemas, os governos estabelecem um limite para o nível máximo de emissões e criam permissões. As empresas mais poluidoras são então obrigadas a comprar créditos que lhes concedem “livre passe” para emitir cada tonelada de carbono.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade