Basf AI
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Conteúdo Técnico

Megatendências: sustentabilidade, melhores práticas na nutrição animal

Na nutrição animal, por exemplo, a redução de Proteína Bruta das dietas é uma forma de reduzirmos o Nitrogênio (N) excretado no ambiente e contribuirmos com a redução do impacto ambiental de N

Redação
07-Dez-2021 14:52

O princípio da sustentabilidade é o respeito ao próximo e ao ambiente como um todo. O termo sustentabilidade se tornou sinônimo de preocupação, no sentido de buscarmos as melhores práticas e reduzirmos os impactos ambientais nos diferentes segmentos da indústria. O tema ganhou força nos últimos tempos e tem sido prioridade para muitos empresários, produtores, políticos e estudiosos no mundo todo, com ampla cobertura pela mídia.

Mais do que uma tendência, as práticas sustentáveis se mostraram, em muitos casos, mais eficientes em relação às convencionais, inclusive com redução de custos de produção. Essas práticas estão cada vez mais presentes no cotidiano das agroindústrias, não só por uma demanda por atividades menos impactantes ao ambiente, como também pela maior concorrência e exigência crescente por produtos mais sustentáveis.

Na nutrição animal, por exemplo, a redução de Proteína Bruta (PB; N * 6,25) das dietas é uma forma de reduzirmos o Nitrogênio (N) excretado no ambiente e contribuirmos com a redução do impacto do N no ambiente.

Na Alemanha, as regulamentações revisadas sobre a fertilização e o manejo de nitrogênio e de fósforo nas granjas, em vigor desde 2017 (Ministério da Justiça e Defesa do Consumidor, 2017a, b), estão obrigando as operações de produção animal a reduzir ainda mais as emissões.

Nesses documentos, as metas estabelecidas para a excreção anual de N por área são mais ambiciosas do que os valores sugeridos pelo documento de referência “Melhores Técnicas Disponíveis” (BAT) de Santonja et al. (2017).

Cálculos aproximados, baseados nos números atuais das práticas de alimentação de frangos de corte, indicam que será um desafio atingir esses limites.

Confira a matéria completa na Edição 1310 da Revista Avicultura Industrial

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade