Guia Gessulli
17-Jan-2019 12:48
Abates reduzidos

Mercado de perus sofreu em 2018 e indústrias fazem mudanças

Após encerrar unidades de abate em Goiás e Paraná, BRF vai ampliar produção em Chapecó (SC), onde gerará 700 novos empregos

outras aves, fotos atualizadas ,
Outras Aves

Por Anderson Oliveira

A produção brasileira de perus tem passado por mudanças. Os impactos da Operação Carne Fraca, que culminou no embargo da União Europeia a frigoríficos do país, afetaram de maneira mais forte as exportações dessas aves. Isso porque o bloco é um dos principais importadores da carne de peru nacional. Uma das mais atingidas, a BRF encerrou o abate dessas aves em Mineiros (GO) e suspendeu por tempo indeterminado a produção em Francisco Beltrão (PR).

A suspensão na unidade do Paraná e outros fatores refletiram em uma queda de 34,5% nos abates de peru, segundo o Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). De janeiro a outubro de 2018, o estado abateu um total de 4.877.127 de perus. No mesmo período de 2017, haviam sido abatidas 7.448.074 de aves.

Números ainda não consolidados, levantados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), apontam que houve queda também nas exportações da carne de peru em 2018. Os estados que concentram maior redução nas vendas ao mercado externo são Goiás, Minas Gerais e Paraná. A retração é menor em Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

“O ano passado colocou alguns desafios para o setor de aves. Fatores como a greve dos caminhoneiros e a redução do mercado mundial de perus são alguns dos motivos da redução de abates dessa proteína”, afirma Domingos Martins, presidente do Sindiavipar. Segundo ele, o número de empresas ligadas ao mercado de perus é menor no Paraná, o que também explica a forte queda nas estatísticas. Martins avalia que 2019 será um ano melhor para o setor.

BRF amplia unidade de Chapecó

A suspensão dos abates em Francisco Beltrão pela BRF faz parte de um plano de reestruturação operacional e financeira, anunciado em julho do ano passado pela companhia. Em nota, a empresa afirma que deve ampliar a produção de perus em Chapecó (SC). Com isso, a companhia concentra o abate dessas aves em uma só unidade.

A produção no campo já foi iniciada, com as aves sendo recebidas pelos produtores integrados nas últimas semanas. Além disso, a BRF informa que estima criar 700 novos postos de trabalho com início em março de 2019.

Investimento interrompido

A JBS, que junto com a BRF concentra a produção de perus no Brasil, foi outra a mudar os planos para esse mercado em 2018. A companhia, que é dona da marca Seara, havia anunciado a construção de um frigorífico de perus em Itaporã (MS). O investimento seria de R$ 450 milhões, segundo o Correio do Estado. Atualmente, a produção de perus pela empresa ocorre em apenas uma unidade, que fica em Caxias do Sul (RS).

 

Redação AI
Deixe seu Recado