Guia Gessulli
AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Avícola Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Ovos Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
PSA

Ministro da Agricultura da República Dominicana conclama os países das Américas a aplicar medidas de emergência e prevenção à Peste Suína Africana

Na Conferência de Ministros da Agricultura das Américas de 2021, organizada pelo IICA, a República Dominicana e o Haiti informaram as ações que adotam para enfrentar essa doença que ameaça a indústria suína hemisférica, e até o momento presente apenas em fazendas dominicanas.

Redação
03-Set-2021 08:15 - Atualizado em 03/09/2021 09:09

O Ministro da Agricultura da República Dominicana, Limber Cruz López, solicitou que os países das Américas unam esforços para enfrentar e prevenir a propagação da Febre suína africana (PSA) na região e que seja confiado ao Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) o apoio e a execução de iniciativas para erradicar focos e conter a disseminação do vírus, que ameaça a indústria suína do hemisfério e a estabilidade econômica de pequenos e médios produtores do setor.

Cruz fez esse chamado na Conferência de Ministros da Agricultura das Américas de 2021, organizada pelo IICA, e explicou as ações adotadas por seu país após a detecção e notificação da PSA em seu país, em 29 de julho.

Ressaltou o intercâmbio de informações com o vizinho Haiti, cuja Diretora de Cooperação Internacional do Ministério da Agricultura, Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural, Nadège Dorival Montissol, também expôs seus planos de contenção.

“Nosso Governo assumiu com profunda responsabilidade o enfrentamento dessa doença, a partir do gabinete agropecuário, presidido pelo Presidente da República, Luis Abinader, e estamos implementando o plano de contingência e erradicação da PSA com um enfoque integral, descentralizado e com ampla participação do setor privado”, manifestou Cruz.

“Estabelecemos uma série de conversas bilaterais com autoridades de diferentes países, com especial atenção ao intercâmbio recebido com o país irmão, Haiti. Bem como entramos em contato com organismos internacionais e solicitamos uma missão técnica de apoio formada pela Organização Mundial de Sanidade Animal (OIE), a FAO, o IICA e o Organismo Internacional Regional de Sanidade Agropecuária (OIRSA), que permaneceu 15 dias no país”, acrescentou o Ministro da Agricultura da República Dominicana.

Limber Cruz manifestou que a presença da PSA é uma questão de importância sanitária para todos os países, de modo que decidiu expor o tema na Conferência de Ministros da Agricultura das Américas, em cujo âmbito se reúne a Junta Interamericana de Agricultura, o órgão de governo máximo do IICA.

“Agradeço por toda a solidariedade recebida dos países irmãos e organismos internacionais, e solicito a aprovação de uma resolução pela qual se outorgue mandato ao IICA para que continue apoiando as ações necessárias para enfrentar a emergência e prevenir a PSA nos países das Américas”, ressaltou.

Nadège Dorival comentou que o Governo do Haiti decretou a proibição de importar porcos vivos e seus derivados da República Dominicana e acionou uma comissão interministerial encarregada da gestão do controle e prevenção da doença em seu território, pela Unidade de Proteção Sanitária e com o apoio da Representação do IICA no país, que apoiou a realização da análise de laboratório.

“O Ministério da Agricultura quer se antecipar e se adiantar frente aos diferentes cenários surgidos da natureza dos resultados de laboratório, priorizando três ações: uma vasta campanha de informações e de conscientização que será realizada por todo o país sobre uma provável reintrodução da PSA nos rebanhos suínos; dar prosseguimento às operações de detecção da doença no território nacional; e o estabelecimento de uma vigilância sanitária que abrange todos os atores do Estado e não estatais que intervêm no setor agrícola”, explicou a funcionária do Haiti.

“É indispensável que o Haiti e a República Dominicana tenham uma colaboração muito próxima para combater a doença, estou convencida de que posso contar com o acompanhamento técnico habitual do IICA na luta contra a peste suína africana no Haiti”, declarou Dorival.

A Diretora de Cooperação Internacional do Ministério da Agricultura do Haiti também se referiu à grave situação que o seu país enfrenta após o terremoto de 14 de agosto passado.

“É necessário um reordenamento e restaurações urgentes para garantir a produtividade das pequenas explorações agrícolas familiares no curto e no médio prazo. A implementação de infraestruturas hidroagrícolas representa uma maior prioridade no âmbito das próximas intervenções do Ministério, de modo que peço a sua solidariedade para com o povo haitiano e, em geral, para a comunidade agrícola rural, perante a qual o IICA sempre manifestou a sua presença”, disse a funcionária.

Concluiu seu chamado com uma lista de outras intervenções urgentes, como a reabilitação do habitat rural nas zonas afetadas, o reforço das capacidades produtivas, a reconstituição dos inventários de sementes, a reabilitação dos sistemas de irrigação, a restauração dos solos cultivados, a reabilitação das rodovias agrícolas e a restauração ambiental.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade